Resultado de imagem para Alderico Sena

Virtude é uma qualidade moral, um atributo positivo de um indivíduo. Virtude é à disposição de um indivíduo de praticar o bem; e não é apenas uma característica, trata-se de uma verdadeira inclinação, virtudes são todos os hábitos constantes que levam o homem para o caminho do bem. Há diferentes usos do termo, e existem vários exemplos de virtude, que estão relacionados com a força, paciência, coragem, o poder de agir, a eficácia de um ou a integridade da mente.

 Virtude é um conceito que remete para a conduta do ser humano, quando existe uma adaptação perfeita entre os princípios morais e éticos. Os valores são fundamentos éticos e espirituais que formam a consciência do ser humano. Esses dignificam a vida das pessoas, definindo seus princípios e propósitos com objetivos grandiosos. Existem virtudes que afloram atitudes humanas e facilitam o convívio entre as pessoas e governantes. Para os filósofos e psicólogos, por exemplo, as virtudes humanas básicas das pessoas são: benevolência, justiça, paciência, sinceridade, responsabilidade, otimismo, sabedoria, respeito, autoconfiança, contentamento, coragem, desapego, despreocupação, determinação, disciplina, empatia, estabilidade, generosidade. Virtude é uma qualidade moral, um atributo positivo de um indivíduo. Virtude é à disposição de um indivíduo de praticar o bem; e não é apenas uma característica, trata-se de uma verdadeira inclinação, virtudes são todos os hábitos constantes que levam o homem para o caminho do bem.

A filosofia aplicada do governo para com a sociedade é: Deveres, sim, direitos, nada! É nítido que a máquina pública está comprometida. A sociedade só tem deveres. Todo dia, ao vivo e em cores na mídia escrita, falada e televisada trata de violência, reformas, aumentos de produtos e serviços, corrupção e corruptor, todas essas questões penalizam a sociedade. O direito a educação, o Ministro da Educação corta a verba das Universidades. Se pararmos para pensar, no final das contas, mesmo que inconscientemente ou por omissões, somos nós que financiamos todos esses desmandos praticados contra a sociedade com taxas, contribuições, impostos, dentre outros tributos recolhidos aos cofres públicos. Os corruptos visam o dinheiro público, que em última análise é o seu dinheiro e o meu dinheiro, que disponibilizamos para a manutenção da sociedade. A cada dois reais desviados ou desperdiçados é um litro de leite que está sendo tirado das crianças esfomeadas pelos municípios deste país! Ao longo dos anos fomos vencidos pelo cansaço, nos tornamos um povo apático a tudo isto. Somos pacíficos, mas não precisamos ser omissos com os interesses coletivos como condômino que mora em condomínio que não participa das Assembléias para preservar a qualidade de vida, a segurança e a valorização do seu patrimônio. Temos que limpar a administração dos maus políticos e servidores públicos que utilizam e mancham a coisa publica. O grande desafio do cidadão é mudar valores, comportamentos e atitudes, de tal sorte que, em vez do EU, predomine o NÓS. ACORDA SOCIEDADE. NADA MUDA SE VOCÊ NÃO MUDAR! MUDAR: DOÍ CONTINUAR COMO ESTÁ: DOÍ. ESCOLHA UMA DAS DORES E PARE DE RECLAMAR. 2020 e 2022 terão eleição. Seja a mudança!

Alderico Sena – Bacharel em Teologia Sociedade e Política, Especialista em estão de Pessoas e em Cooperativismo – www.aldericosena.comEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Isabela Perrella*

É crescente o número de correntistas de instituições financeiras, principalmente aposentados e idosos, que têm sido vítimas da fraude popularmente conhecida como o "Golpe do Motoboy". Nesse golpe, "falsos" funcionários do banco entram em contato com o correntista e informam que o sistema detectou uma suposta compra com características fraudulentas em sua conta bancária e questionam a sua veracidade. Por se tratar de uma "falsa" compra, o cliente informa que não a realizou, assim o suposto funcionário do banco explica que houve uma fraude no cartão e sugere o seu cancelamento através do telefone da central de atendimento localizado atrás do cartão.

Os estelionatários mencionam na ligação os dados pessoais da vítima como nome, CPF e instituição financeira. Após esse primeiro passo, o golpista, se passando por funcionário do banco, orienta o aposentado a realizar uma ligação posterior na qual confirmará alguns dados e questionará de fato as compras realizadas indevidamente em seu cartão. Então, neste intervalo de tempo, do término de uma ligação para a discagem de uma nova, estes criminosos "prendem" a linha de seu telefone, de forma que a ligação posterior, que o correntista acredita ser direcionada ao banco, fica novamente sob o controle dos golpistas. É também neste momento que é solicitado que a vítima digite a senha de seu cartão. Desta forma, todos os dados ficam expostos permitindo que os golpistas façam transações comerciais em seu nome.

E os próprios golpistas realizam um "falso" cancelamento do cartão e "por motivos de segurança" solicitam ao cliente que envie o cartão à agencia bancária, mantendo o chip, junto com uma carta escrita a próprio punho acerca do ocorrido, para que seja realizada uma sindicância, disponibilizando um motoboy para a retirada. Ocorre que, o cancelamento de fato não ocorreu e o motoboy que retira o cartão na residência do correntista é o próprio golpista, que na sequencia realiza diversas compras, empréstimos e saques na conta bancária.

Ao descobrir que caiu no "Golpe do Motoboy", o correntista solicita ao banco o bloqueio de fato do cartão, bem como o cancelamento das compras realizadas pelos golpistas. Contudo, na maioria dos casos, a instituição bancária rejeita a solicitação e o consumidor tem que arcar com o prejuízo.

Dessa forma, muitos correntistas estão recorrendo à Justiça para pleitearem o cancelamento das compras e empréstimos realizados pelo golpista, bem como a devolução de valores sacados ou pagos. É possível também solicitar, liminarmente, a suspensão das cobranças até o término da ação, não correndo durante esse período, caso seja deferida a liminar, juros sobre o débito.

Na maioria dos casos, a liminar é deferida, sendo confirmada ao final do processo, condenando o banco a cancelar o valor cobrado e a devolver os valores pagos ou debitados da conta do correntista. Ainda existe a possibilidade de condenação em danos morais, tendo em vista todo transtorno passado pelo correntista, o abalo psicológico sofrido, além de ter todos os seus dados pessoais e bancários expostos a terceiros que o utilizam de má-fé.

Não obstante tudo isso, a orientação é para sempre que o consumidor tiver que inutilizar o cartão, corte ao meio, inutilizando a tarja magnética e também, quando possuir, corte ao meio o chip, adotando tal procedimento as chances de qualquer fraude diminuem consideravelmente. E também é recomendável nunca entregar seu cartão para qualquer funcionário. E caso tenha sido vítima do golpe, registrar de imediato um Boletim do Ocorrência (BO) na delegacia mais próxima. O "Golpe do Motoboy" é o mais utilizado por quadrilhas especializadas em aplicar golpes em pessoas da terceira idade.

*Isabela Perrella é advogada do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados

João Guilherme Sabino Ometto*

Contrariando o antigo sentimento de que o ano brasileiro sempre começa somente depois do Carnaval, 2019 segue exatamente igual a 2018, ou seja, com o mesmo elevado índice de desemprego, PIB estagnado, volume muito baixo de projetos empresariais e investimentos e ceticismo do mercado e da sociedade como um todo. Em termos práticos, nosso réveillon apenas será efetivado pela reforma previdenciária, decisiva para a conquista do equilíbrio fiscal, queda mais acentuada dos juros, resgate da credibilidade nacional e retomada dos investimentos do Estado e do crescimento econômico sustentado.

Considerada a grande importância da medida para o presente e o futuro dos brasileiros, todos esperam que os poderes constituídos priorizem, acima de tudo e de todos, os interesses maiores do País, relevando assuntos político-partidários, temas dogmáticos ou filosóficos e discussões de caráter pessoal. Afinal, não se trata de uma questão de caráter ideológico, mas de uma equação pura de matemática, na qual a imprecisão do resultado significaria o aprofundamento do déficit público, a inviabilização futura das aposentadorias de milhões de brasileiros e a impossibilidade de extinção da prolongada crise nacional, que já causou danos demais às empresas e às famílias.

O diálogo construtivo, os debates entre o Executivo e o Legislativo e até mesmo os embates retóricos e opiniões divergentes são saudáveis para a democracia e o aperfeiçoamento das ideias e propostas. No entanto, há limites republicanos para o seu exercício, pois jamais se deve inviabilizar a governabilidade e existem momentos nos quais as decisões transformadoras da história devem prevalecer dentre todas as demais questões. É exatamente este o caso da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) relativa ao sistema previdenciário. Seu trâmite, o mais urgentemente possível, e votação não podem ser obstruídos por quaisquer outras situações menos cruciais para a solução dos problemas do País.

A população brasileira deixou muito claro nas urnas de outubro de 2018 o seu anseio por mudanças na política nacional. Elegeu o presidente Jair Bolsonaro com quase 58 milhões de votos, ou 55% do total de válidos. Na Legislatura iniciada em 2019, a renovação no Senado, a maior verificada até então, foi de 85% e na Câmara dos Deputados, quase 50%. É pertinente lembrar esses números, pois, muito mais do que mera estatística, eles implicam grande responsabilidade por parte de todos aqueles que se apresentaram à sociedade como candidatos, mereceram a confiança do eleitorado e são depositários da esperança da população.

O cenário de nosso país é muito complexo e delicado neste momento. A economia ainda não reagiu de modo proporcional às expectativas positivas criadas com a eleição e posse de um novo governo. Ademais, é preciso considerar que não temos mais espaços para erros, depois de sobrevivermos à mais grave crise de todos os tempos, com muito esforço da sociedade, dos empresários e trabalhadores, de alguns políticos corretos e resilientes e instituições como o Ministério Público, Poder Judiciário e Polícia Federal. Seria absurdamente insensato perder a oportunidade de consolidar esse histórico e inusitado movimento inovador, transformador e permeado pela demanda da ética e do compliance, princípios dos quais os brasileiros não querem abrir mão.

Temos excelentes perspectivas de desenvolvimento, pois é grandioso o potencial de nossa economia, recursos naturais, minerais, energéticos, hídricos, áreas agricultáveis, capacidade de produzir alimentos, bioenergia e manufaturados, um respeitável mercado, trabalhadores e empresários capazes. Tudo isso foi amplificado pela crença dos brasileiros em sua capacidade de mudar a realidade por meio do voto, intenção enfática manifestada nas últimas eleições.

Assim, é premente colocar a reforma previdenciária acima de tudo e de todos, para que possamos, finalmente, desejar feliz ano novo e um futuro de prosperidade ao Brasil e seu povo!

*João Guilherme Sabino Ometto, engenheiro (Escola de Engenharia de São Carlos - EESC/USP), é vice-presidente do Conselho de Administração da Usina São Martinho e membro da Academia Nacional de Agricultura (ANA).

Imagem relacionada

As manifestações populares sempre foram os principais ‘termômetros’ para avaliar as conjunturas. Geralmente, com raras exceções, as presenças organizadas de populações nas ruas, por exemplo, é uma das principais formas de apresentar o descontentamento ou a desaprovação a determinadas ações impostas a um coletivo.

O povo na rua é sinônimo de insatisfação, uma demonstração de que alguma coisa está (muito) errada.
Subestimar o sentimento da ‘massa’ é tão perigoso quanto se vangloriar. Quando os que gozam de funções eletivas acreditam representar apenas os que lhe confiaram o voto, em detrimento do todo, as respostas são imediatas, independe se este comanda a união, um estado ou um município. 

Com força, uma população revoltada é capaz de enfrentar situações adversas. Se o motivo de determinado movimento for a traição política, o antônimo do que foi defendido ou a retirada de conquistas e direitos, a adesão e a revolta tendem a ser mais acaloradas.

O sujeito que confunde ‘sou’ por ‘estou’, talvez por desconhecer o significado desses dois verbos, inevitavelmente ‘escorregará’ em suas atividades. Como um aluno indisciplinado, que não segue as regras estabelecidas pela escola, o mau timoneiro tem o erro como ação corriqueira e acredita ser o ‘dono da verdade’, irrefutável. Assim como um ditador, o comportamento do fascista é uma ‘mistura’ de burro, com estúpido, ignorante, imbecil, inepto, palerma, pateta, cretino e tonto, ou seja, um verdadeiro IDIOTA, que possui dificuldade de aprendizado e de relação humana.

Conforme a teoria do professor e pesquisador Lev Vygotsky (1896 – 1934), da Bielorrússia, o desenvolvimento do indivíduo faz parte de um resultado de um processo sócio-histórico, ou seja, a evolução humana se dá por meio das relações sociais em que o indivíduo mantém no decorrer de sua vida; é a partir das interações sociais que esse indivíduo desenvolve suas funções psicológicas superiores. Traduzindo: me diga do que tu sempre gostou, praticou e andou que eu te direi quem és tu, sua nota de três reais.

Que os cidadãos se reúnam publicamente para expressar suas insatisfações e inquietações. Vale lembrar que para uma manifestação ter êxito, quanto maior o número de participantes mais visibilidade e resultado ela conseguirá.

Por Gervásio Lima
Jornalista e historiador

Milhares de alunos já conseguiram o seu diploma de ensino superior pelas renomadas universidades baianas e tantos outros atingirão as mesmas conquistas.

No gráfico podemos perceber uma constante evolução de investimentos por parte do Governo do Estado quando o assunto é educação universitária.

Em 2007, a partir das gestões petistas, saímos de um investimento de R$ 464 milhões e atingimos a marca de R$ 1,359 bilhão. Um feito impressionante em tão pouco tempo. 

Mesmo o Brasil atravessando a sua pior crise econômica das últimas décadas, o Governo da Bahia conseguiu honrar investimentos e a política de valorização do ensino superior.  

Este montante investido levou a Bahia a ocupar o honroso 3º lugar no Brasil entre os estados que mais liberaram recursos para as universidades públicas. 

=Bahia é O Terceiro Estado Que Mais Investiu Em Educação Superior

Pesquisa 

O Governo da Bahia também financia a  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), que por sua vez patrocina a pesquisa de professores e alunos de todos Brasil nas mais diversas universidades baianas. Os alunos bolsistas da FAPESB recebem bolsas científicas: graduando,  R$: 400,00; mestrando, R$ 1.500,00; e doutorando, R$ 2.200. Este apoio econômico para os nossos cientistas é um fator determinante para o desenvolvimento da pesquisa na Bahia.

No mundo acadêmico é importantíssimo trabalhar o ensino, a pesquisa e extensão. É importante ressaltar que cada centavo investido neste importante tripé retorna de forma positiva para o estado e a sociedade.

Sabemos do enorme desafio que é revolucionar a educação superior da Bahia. Foram anos de atraso com gestões que não se comprometiam com o mundo acadêmico.

Poderíamos citar inúmeros entraves, que, algumas vezes, barram ainda mais investimentos, o mais forte (o golpe que sofremos no país) e vem sangrando todas os estados e áreas estratégicas. 

Devido à conjuntura atual, se ainda não alcançamos o topo que o nosso potencial universitário permite, também precisamos reconhecer que nos últimos 11 anos os governadores Jaques Wagner e Rui Costa, elevaram a nossa educação superior para um patamar muito superior do que na última década.  

Tenho certeza que, com o trabalho que vem sendo realizado por Rui e a sua competente equipe, a educação da Bahia irá alcançar o topo nacional. 

Fazendo uma analogia com o campo, plantar educação é a garantia de uma safra vitoriosa.


Josias Gomes - Deputado Federal do PT/Ba, licenciado e atualmente Secretário de Desenvolvimento Rural.



banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player