Há alguns anos o marketing tradicional tem sido substituído por outra opção, o marketing digital, também conhecido como marketing na internet. Isso porque, a internet é uma das principais ferramentas hoje em dia e faz parte da vida de milhões de pessoas do mundo inteiro.

Sendo assim, essa plataforma possui acesso todos os dias e por muitas horas em qualquer lugar, seja por meio do computador em casa ou no trabalho ou até mesmo na rua através dos celulares e tablets. Dessa forma, as empresas buscaram se apoiar nos recursos e possibilidades oferecidas pela internet, a partir de estratégias e técnicas de especialistas da área de marketing digital.

Tudo isso porque existem consumidores online conectados a todo tempo e a qualquer momento sua marca pode atingi-lo por meio de anúncios e nos mecanismos de busca, como o Google, para que eles conheçam mais sobre seus produtos e serviços. Assim, ao encontrar o que procura, o usuário entrará em contato com a sua marca e você terá mais lucros, visibilidade e reconhecimento no mundo online.

Qual estratégia vale a pena para quem quer se destacar?

Um dos serviços mais eficazes e valorizados é o anúncio no Google, já que ele é preparado para promover sua imagem e trazer o público-alvo para a sua empresa, valorizando seu negócio. Os anúncios também são conhecidos como links patrocinados e o pagamento é feio por clique.

Essa estratégia garante valorização e destaque da marca já que o anúncio ocupa posições mais visíveis do Google que estão localizadas nas primeiras linhas, como também, na parte lateral direita. Isso faz com que sua empresa aumente o tráfego de visitas no site, bem como, obtenha mais conversões e novos clientes.

Portanto, é importante investir em serviços que façam com que sua empresa fique cada vez mais reconhecida e confiável no segmento que você atua, pois assim, os benefícios serão maiores e os resultados tangíveis. 

Por Maristela Duarte – São Paulo/SP

Karla Borges

Desde que a Lei Anticorrupção entrou em vigor no ordenamento jurídico brasileiro, as pessoas começaram a ouvir falar em “COMPLIANCE” com frequência, sem contudo, saber efetivamente do que se trata e para que serve. Diariamente procuram-se nos classificados profissionais de compliance, oferecendo vagas de emprego e muitos sequer conhecem onde são oferecidos cursos sobre a matéria.

O fato é que as regras de compliance passaram a ser exigidas em todas as organizações diante das severas punições impostas pela Lei Anticorrupção ao constatar a prática de algum ato lesivo à administração pública. Compliance nada mais é do que agir em conformidade com as leis vigentes, criando mecanismos de prevenção e controle nas ações das empresas. Daí a necessidade de se criar códigos de ética e de conduta para que os membros da organização possam segui-los.

Elaborar um programa de Compliance é adotar procedimentos capazes de garantir que a prática de atos esteja de acordo com as regras legais existentes, visando prevenir eventuais fraudes e estabelecendo parâmetros que devem ser acompanhados por todo e qualquer profissional que se relaciona direta ou indiretamente com o negócio. Há alguns anos as empresas estrangeiras vêm adotando programas dessa natureza, inclusive por influência da legislação americana- FCPA Foreign Corrupt Practices Act que exige medidas efetivas de prevenção à corrupção.

Agir com correção, implementar procedimentos confiáveis, monitorar o desempenho profissional, fixar controles internos são alguns dos métodos balizadores de um programa de compliance. Estimular os funcionários a denunciar qualquer suspeita de ato ilícito, mantendo o sigilo e o anonimato passa a ser regra, visando reduzir os riscos. Um canal de comunicação deve ser disponibilizado nas empresas para receber as denúncias, alcançando, ainda, as atitudes de eventuais parceiros ou terceirizados.

A existência de áreas de compliance serve de abrandamento no caso de punição a pessoa jurídica pela lei brasileira, motivo pelo qual o controle deve ser permanente e eficaz. A mudança na cultura das organizações irá impor um novo modelo de gestão, baseado na participação efetiva de todos os membros sendo imprescindível o apoio da alta direção. A lei prevê acordos de leniência, incentivando o infrator a admitir o ato ilícito diante da possibilidade de extinção da ação punitiva ou da redução das penas imputadas.

Haverá uma oportunidade para que as empresas baianas possam conhecer um pouco mais sobre o tema. O Instituto Latino-americano de Estudos Jurídicos - ILAEJ promoverá um seminário gratuito sobre as práticas de compliance no próximo dia 25 de setembro no Salvador Business, com um café da manhã direcionado ao segmento empresarial, quando serão discutidos assuntos relevantes e apresentados casos concretos internacionais.

A grande novidade mundial, inclusive, são os prêmios pagos pelo governo americano pelas delações, uma vez que a lei incentiva a denúncia de fraudes à justiça. Constatada a existência da irregularidade revelada, o denunciante recebe 15% a 25% do valor que o governo vier a recuperar da empresa infratora. A cultura da delação pode redundar em inúmeras injustiças, afinal, nesse caso o delator age por dinheiro e nem toda denúncia significa infração. Se essa medida vier a ser adotada no Brasil também, certamente nascerá além do especialista em compliance, o whistleblower, o conhecido “dedo-duro” remunerado.

Karla Borges    em    12/09/14

Professora do Núcleo de Estudos Tributários - NET

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

O desinteresse e a despolitização da sociedade pela política comprova a escassez de lideranças no Brasil. Nem mesmo associados de Sindicato, Federação, Condomínio, Conselho de Classe, Cooperativa, Associação de bairro, dentre outros segmentos da sociedade, não participam de forma efetiva de Assembleias Gerais para discutirem, combaterem, debaterem e defenderem propostas econômicas, sociais e políticas da comunidade e do País. Qual a expectativa das gerações que virão daqui a 20 (vinte) anos, desde quando os interesses individuais e não o coletivo é que tem prevalecido?  

Uma das formas de aparecer novas lideranças políticas é com as reformas no ENSINO e na POLÍTICA com financiamento público de campanha, amarrando critérios básicos, onde todo candidato possa ter direitos de igualdade de condições. Defendemos que a divulgação dos candidatos deva ser apenas pela mídia (falada, televisada e escrita) com repasse de recursos direto do TSE para MÍDIA, visando bloquear qualquer tipo de CORRUPÇÃO, PRIVILÉGIO E PODERComo também defendemos a Revisão Constitucional e o Parlamentarismo.

 Não temos mais Partidos políticos de esquerda, centro esquerda, direita, Centro direita e de centro, hoje no Brasil existem trinta e dois partidos, criar Partido Político virou balcão de negócios.

As mudanças morais, sociais, culturais, econômicas e políticas só ocorrerão quando o eleitor colocar em prática uma mudança de atitude e exigir do político e do governante o respeito à Constituição e as Leis. Outra questão muito importante, os Poderes Constituídos estão fragilizados e impotentes, esta é uma das razões para uma REVISÃO CONSTITUCIONAL.

É preciso acabar com a cultura “do que é dando que se recebe” político não é para dar nada a ninguém, ele é eleito para representar o povo e o Brasil. À sociedade precisa entender que o instrumento da sabedoria, ideias e projetos é que beneficia a coletividade na educação, saúde, segurança, transporte, geração de emprego, melhor distribuição de renda, dentre outros benefícios, onde poderemos coibir com ATITUDE, as desigualdades sociais.

Eleitores pensem no amanhã das crianças e apliquem a CPI DO ELEITOR, que é o voto consciente para expurgar a ingerência de maus políticos nosPODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIOQUERER É PODER COM AÇÃO E NÃO OMISSÃO. Vamos iniciar uma cultura nova de VOTARNO SER E NÃO NO TER do candidato, visando o NÓS e não o EU.

O problema do Brasil não é econômico, é social, são muitos com poucos e poucos com muitos recursos. Com bons políticos o próximo Presidente da República e Governadores passarão a contar com um CONGRESSO NACIONAL e Assembleias Legislativas compostas de homens livres e de bons costumes para analisarem e aprovarem os investimentos necessários, visando o crescimento dos Estados e do Brasil.

Precisamos acabar com essa história de que na política só tem corrupto/corruptor e que a política não tem mais jeito! O jeito quem tem que dá é cada eleitor, considerando que nem todas as pessoas são iguais, é só conhecer a história de vida dos candidatos. Quem alimenta a corrupção na política é o corruptor, quando o eleitor troca o voto por um favor pessoal, elege um candidato corrupto e prejudica milhões de brasileiros, inclusive a sua família, caráter não tem preço.

O momento é de reflexão e ação, considerando que o representante da cidadania, a escolha é do eleitor e também “O cidadão que não conhece os seus direitos, não tem o direito de lutar por eles”, escreveu Ruy Barbosa.

Dia 5 de outubro, eleitores cumprirão seu dever cívico para eleger o Presidente, Governadores, Senadores, Deputados Federal e Estadual, nos 5.564 municípios brasileiros. O Brasil que todos sonham não depende só dos políticos é preciso também à consciência política de cada eleitor. Este é o momento ideal de aplicar a CPI DO ELEITOR para expurgar os maus políticos.

Eleitor chegou a hora de separar “O JOIO DO TRIGO” utilizando a estratégia de não anular e nem votar em branco para não passar cheque em branco a candidato inescrupuloso. O pior analfabeto é o analfabeto político, ele não sabe que o preço do alimento, educação, saúde, remédio, segurança, transporte, habitação, afinal todas as necessidades do ser humano dependem de decisões políticas.

Lembramos que o acompanhamento e o controle do mandato do governante e dos políticos não são somente dos órgãos fiscalizadores é também uma responsabilidade do eleitor, basta consultar os procedimentos no site: www.portaldatransparencia.gov.br.

O Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do PDT- Partido Democrático Trabalhista, convida a Sociedade para defender com mais vigor, o Movimento das Reformas MORAL, ENSINO E A POLÍTICA com financiamento público de campanha, a exemplo dos Movimentos Estudantil de 68 e das Diretas Já em 84, como única alternativa de resgatar e MORALIZAR OS TRÊS PODERES CONSTITUÍDOS NO BRASIL.

Eleitor quem não gosta de política é governado por quem gosta. Pare, pense e vote consciente, visando às futuras gerações.

Alderico Sena - Especialista em Gestão de Pessoas, Coordenador de Pessoal da Assembleia Estadual Constituinte/89, Presidente Estadual e Vice Nacional do Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do PDT- Partido Democrático Trabalhista.

Sérgio Passos

 Há pouco dias, retirei a minha candidatura a deputado estadual pelo PSDB. Não consegui resistir ao sentimento que me tomou, mesmo que momentâneo, sentimento de descrédito, resignação e quase impotência diante do quadro dramático que as eleições proporcionais nos apresenta.

Acreditava que, com o retorno da democracia ao nosso País, quanto mais eleições houvesse, mais ela seria aperfeiçoada, pois o povo seria levado a se educar politicamente e o que passaria a predominar seria o princípio ideológico e o interesse de bem servir.  

Ledo engano!  O que se vê hoje é a total deturpação da democracia; com um quadro partidário exótico, com quase 40 partidos registrados (sob os olhos coniventes de todos). Não acredite que por trás disso exista ideologia, e sim interesses, quase sempre escusos, como negociatas de tempo de TV e rádio, e outras coisas mais.

A eleição sem a distritalização tem levado ao predomínio do dinheiro, pois, candidatos representando estruturas de poder, instituições sociais ou grupos econômicos, surgem levando por “água abaixo” a representatividade popular, pois os eleitos colocam o mandato à disposição daqueles que os financiam, desconectados, na maioria das vezes, da realidade local dos "representados".

Ora, isto não pode continuar, pois terminará colocando em risco o nosso regime Democrático, pois estimula a troca de favores e a corrupção e até o sentimento, cruz credo, da volta à ditadura.

Para que possamos mudar esta situação, teremos que eleger um Presidente com visão desta realidade distorcida e com a coragem necessária para fazer a reforma (mãe) política, que traga no seu bojo a distritalização do voto, seja este misto ou  puro, com financiamento público ou não, etc, etc.

O que importa é que todos nós tenhamos o eleito mais próximo, para fiscalizarmos a sua atuação e a diminuição de influências financeiras na eleição. 

Reforma política, como chamo reforma mãe, pode ser um sonho, mas na vida é preciso também sonhar acordado, pois através do sonho podemos buscar uma realidade, que no nosso caso, o Brasil, urge.

Sérgio Passos é médico e presidente estadual do PSDB na Bahia

Em 1888, uma onda de morte chocou os habitantes de Londres. Ao menos cinco mulheres foram assassinadas com requintes de crueldade e tiveram seus corpos mutilados. O assassino ficou conhecido como Jack, o Estripador e somente agora sua identidade parece ter sido confirmada, após uma investigação particular.

Quando os crimes ocorreram, a polícia local prendeu e interrogou diversos suspeitos, mas devido à falta de provas, todos foram liberados. O caso ficou envolto em mistério por 126 anos, até a tecnologia recente e a aquisição de um xale em um leilão tornarem possível identificar o criminoso.

Investigador particular e novas provas

Recentemente, um empresário chamado Russel Edwards adquiriu um xale utilizado por uma das vítimas de Jack em um leilão. A peça continha vestígios de sangue e esperma e fora recolhida pela polícia junto ao cadáver de Catherine Eddowes. Faltava então encontrar descendentes da mulher para realizar a comparação de DNA com um investigador particular.

Edwards encontrou uma descendente de Eddowes que aceitou disponibilizar material genético para realizar a análise. Após a confirmação de que o sangue pertencia à vítima, Edwards e o perito forense Jari Louhelainen foram em busca de possíveis descendentes de um dos maiores suspeitos do crime, Aaron Kosminski. Diversos motivos levaram à busca por descendentes deste suspeito em particular:

  •          Kosminski era um dos maiores suspeitos;
  •          Ele possui comportamento delirante;
  •          Cometera abusos contra si mesmo;
  •          O suspeito provavelmente foi testemunha de atrocidades na Polônia.

E o mistério acabou...

Após mais de um século, o mistério chegou ao fim. A prova que policiais e até mesmo agências de detetive particular falharam em encontrar com a tecnologia disponível na época foi revelada. Retida nas fibras do xale estava uma amostra de sêmen que foi comparada ao DNA de descendentes de um dos suspeitos, Aaron Kosminski e o resultado foi positivo.

Kosminski foi detido na época como suspeito mas liberado por falta de provas. Por sua condição mental precária, foi mantido em sanatórios até sua morte. O polonês tinha cerca de 23 anos e era cabeleireiro, tendo chegado à Londres com familiares fugindo de um massacre em seu país.

Por Maristela Duarte – São Paulo/SP


Prefeitura de Salvador

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




banner adv