bira coroa

Comemoração, homenagem, dança, cântico e reivindicação embalaram a tarde da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (27), durante a Sessão Especial Carnaval Ouro Negro, promovida pela Comissão de Promoção da Igualdade, presidida pelo deputado estadual Bira Corôa.

 

O objetivo da sessão foi reunir representantes de entidades e grupos carnavalescos ligados ao movimento negro, autoridades governamentais e a sociedade civil para celebrar e discutir as alterações do Programa Ouro Negro e sua regulamentação.

 

O evento foi aberto com a apresentação cultural do Afoxé Filhos do Congo e Afoxé Kambalanguanze. Ainda na programação, houve uma homenagem com a entrega de troféus para pessoas que representam a história e a tradição da luta do povo negro.

 

Durante os pronunciamentos, comemorou-se a conquista da aprovação e avanço na regulamentação do Estatuto de Promoção da Igualdade e Combate à Intolerância Religiosa, ao mesmo tempo que foram ressaltaram a necessidade do acompanhamento da prática do estatuto e da continuidade da luta, com destaque para a regulamentação do Programa Ouro Negro.

 

“Vamos reafirmar a nossa presença cultural no Carnaval de Salvador. Vamos mostrar nossa cara e conquistar nossos espaços. A gente não pode perder o que já conquistou. Quero convocar todos vocês utilizar o estatuto no enfrentarmos dos desafios para alcançarmos a sociedade que tanto sonhamos, mais justa e igualitária,” disse Bira Corôa emocionado.  

 

Para a atriz Tânia Toco, é louvável a iniciativa do Programa Ouro Negro em dar visibilidade a algo q é legítimo. “Me sinto representada. Nosso caminho continua e é árduo. Sinto isso na pele quando trabalho na televisão. Parabenizo a Bira e a todos que lutaram para a aprovação do Estatuto, realmente uma grande conquista,” disse.

 

Palestra

Um momento de destaque do evento foi a apresentação do secretário de Cultura, Albino Rubim, com o tema “Políticas para as culturas negras”. Na oportunidade, ele apresentou projetos e programas de culturas populares e identitárias apoiados pela secretaria. “Durante os oito anos do governo Wagner, houve uma ampliação de recursos voltados para população negra, chegando a R$ 100 milhões,” afirmou Albino Rubim.

 

Além de Bira Corôa, Tânia Toco e Albino Rubim, fizeram parte da mesa Ailton Ferreira, superintendente de Direitos humanos; Ataíde Lima, chefe de gabinete da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial; Álvaro Gomes, deputado estadual; Cleia dos Santos, procuradora do Estado; Marluce Macedo, pró-reitora de ações afirmativas; Arani Santana, diretora do Centro de Cultura Identitária; atriz Tânia Toco; Iracema Neves, presidente do Afoxé Kambalaguanze; Lourdes Santana, presidente do Conselho Municipal das Comunidades Negras e Indígenas de Feira de Santana; cantor e compositor Tonho Matéria; e Nadinho do Congo, diretor do Afoxé Filhos do Congo.


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




banner adv