“Logo no início de agosto, iremos realizar uma Sessão Especial para discutir a situação das barragens na Bahia. A Assembleia Legislativa da Bahia realizou, através da Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos, presidida pelo deputado José de Arimateia (PRB), inspeção em 13 barragens de risco localizadas no território baiano. O relatório está pronto e será apresentado à sociedade. O rompimento, hoje (11.07) da barragem de terra, no distrito de Quati, no município de Pedro Alexandre, norte baiano, mostra que o sinal de alerta foi aceso”, disse Nelson Leal, presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, que se inteirou com os prefeitos de Pedro Alexandre e Coronel João Sá sobre a calamidade.

Leal disse que as 349 barragens públicas situadas em território baiano são de responsabilidade dos governos Federal e Estadual. “Os acidentes em Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais, e agora este episódio em Pedro Alexandre, na Bahia, reforçam o que digo há muito: precisamos fazer uma revisão geral das barragens no país inteiro. Sou totalmente a favor da livre-inciativa, mas o Estado não pode deixar de exercer o seu papel de regulação e fiscalização. Felizmente, o rompimento de Quati não ocasionou vítimas até o momento. E espero que fique assim até as águas baixarem”, diz o chefe do Legislativo baiano.  

O prefeito de Pedro Alexandre, Pedro Gomes Filho, já decretou situação de emergência e calamidade no município. “Conversamos também com o prefeito de Coronel João Sá, Carlos Sobral, que se organizou para levar assistência para os moradores da beira do Rio do Peixe. Moradores de localidades como Beira Rio, Bomfim, José Antônio dos Santos, Santo Antonio (Rua Velha), Galo e Barroquinha foram acomodados em escolas públicas. O governador Rui Costa já mobilizou a Defesa Civil, a CERB e o Inema para monitorarem a situação em Pedro Alexandre e região”, diz Leal.

 “Segundo o relatório da Agência Nacional das Águas (ANA), a Bahia tem atualmente 10 barragens com risco de rompimento e 45 no Brasil com algum nível de alerta. A nossa Comissão de Meio-Ambiente da ALBA realizou a inspeção nas 10 e ainda visitamos outras três. Inspecionamos as barragens de Mirante, Araci, RS1 e RS2, em Camaçari; Afligidos, Mineração Caraíba, Cetrel, Apertado, Pinhões, Luiz Vieira, Tabua II e a do Zabumbão. Seguimos o relatório da ANA, que sofre com falta de pessoal e equipamentos para a fiscalização das barragens, mas o desastre hoje, de Pedro Alexandre – que não estava na lista do risco – mostra que a situação pode ser muito grave”, diz o deputado Arimateia.



Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



banner adv