Pela primeira vez na história política de Salvador, os vereadores da cidade poderão indicar obras e ações à prefeitura para serem aplicadas na cidade com teto de R$ 1 milhão em verbas para cada vereador. Com a implementação dessa nova ação, como acontece no Congresso Nacional, por exemplo, o secretário de Relações Institucionais, Pedro Godinho, está afinando os discursos entre o Legislativo e o Executivo para o melhor desenvolvimento da atuação. Os vereadores gostaram da medida, inclusive os da oposição. O líder oposicionista, Gilmar Santiago (PT), classificou que o processo faz parte da vida política entre Legislativo e Executivo. O petista disse que ficará atento se, de fato, o prefeito cumprirá as indicações sem distinções partidárias. O oposicionista escoará parte dos seus recursos para atuações na área de saúde e educação nos bairros de Bom Juá e Cosme de Farias, além de outras obras de mobilidade, por exemplo, em mais localidades soteropolitanas. “Vamos ficar atentos às aplicações das emendas, se o prefeito não olhará partido e será republicano. Se há uma prerrogativa no processo legislativo em vários âmbitos, nós devemos atuar e fiscalizar também. Se, de fato, ele cumprir esse compromisso, quem ganhará será a cidade”, argumentou.(Tribuna)


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




banner adv