O deputado estadual Luiz Moura (PT) participou de uma reunião, em março deste ano, em que estavam presentes ao menos 13 integrantes da facção criminosa PCC, segundo informações obtidas pela Folha com a cúpula da polícia. Entre eles estava um dos criminosos acusados de participar do furto do Banco Central, no Ceará, em 2005, quando foram levados R$ 164,8 milhões, além de um procurado da Justiça por roubos a bancos. A reunião ocorreu na sede da Transcooper, zona leste na capital, em que, em tese, estariam sendo discutido temas de interesse dos cooperados. Porém, segundo investigação da Polícia Civil, desses suspeitos de ligação com PCC, 11 não tinham ônibus ou qualquer ligação com a cooperativa que justificasse a presença deles ao local. A operação policial na sede dessa cooperativa foi revelada na tarde de quarta-feira (15) durante entrevista do subsecretário de Comunicação do governo Alckmin, Márcio Aith, ao programa de José Luiz Datena, na TV Band. O subsecretário rebatia críticas feitas do secretário municipal de Transporte, Jilmar Tatto, ao trabalho da polícia durante a greve dos motorista de ônibus que terminou na quinta-feira (16). Tatto disse haver "passividade" da PM ao tratar com os protestos do setor.(Folha)

banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player