O vereador Hilton Coelho (PSOL) acusa o presidente da Câmara Municipal, vereador Paulo Câmara (PSDB), “de agir de forma autoritária e atacando a democracia que deve prevalecer no debate do Legislativo. Todas as manobras foram usadas para impedir o livre debate e isso não podemos aceitar”, disse. Ele acrescenta que “está sendo votado hoje o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano ​(​PDDU) de Salvador. No melhor estilo carlista de ser, o prefeito ACM Neto manipulou a sua base na Casa para que o PDDU fosse votado às pressas nesta segunda feira (13). Não é verdade que há um processo transparente e participativo. Acusamos que há um golpe em curso para aprovação de um PDDU da exclusão social”. Hilton Coelho critica com veemência a forma detalhista que o PDDU apresentado trata dos interesses das grandes empresas imobiliárias. Para as questões sociais há apenas generalidades. Não sem motivo, o super-relator do PDDU, vereador Léo Prates (DEM), acatou sem questionamentos as emendas, os pacotes enviados pela Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon-BA) e pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA). Para a maioria da população, este PDDU que será aprovado aqui é um retrocesso”.



Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



banner adv