O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (12), em Nova Iorque, que aprovação do projeto de repatriação de recursos de brasileiros no exterior não é considerada fundamental para o governo. Ontem, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou que, por falta de acordo sobre o tema, o projeto seria retirado de pauta. Para Meirelles, a atual legislação sobre regularização de recursos não declarados de brasileiros em outros países é boa e se não for possível alterá-la, não haverá problemas. Segundo ele, não há como prever quanto seria arrecadado com a atual lei ou com um novo marco regulatório e, portanto, não é possível dizer que o projeto da Câmara traria mais recursos ao país. “Na nossa avaliação é muito difícil prever o que vai render uma arrecadação maior: a lei atual com as regras atuais ou se a nova lei com as novas regras que estão sendo propostas. As duas têm vantagens e desvantagens. Não há como, na minha opinião, dizer que uma vai arrecadar mais do que a outra”, disse. Apesar disso, ele acredita que pode haver uma mudança de posição na Câmara até a próxima segunda, se os líderes chegarem a um acordo para pautar o projeto. Com informações da Agência Brasil.



banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player