“As famílias de baixa renda vão ter que optar entre tomar banho ou lavar a roupa para continuarem tendo o direito à tarifa social da água”, alerta o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA).
De acordo com Aleluia, além do reajuste geral da tarifa em 8,8% proposto pela Embasa, mais do que 100% acima da inflação anual de 4,08%, calculada pelo IPCA, a cota de consumo de água da tarifa social vai ser reduzida de 10 metros cúbicos por mês para seis metros cúbicos por mês.
“Se já não bastasse o extorsivo aumento de um serviço essencial que incide diretamente na inflação estadual, quando os preços estão em queda no país, essa ruindade com a tarifa social atinge aqueles com renda de até três salários mínimos”, observa o parlamentar.
As famílias mais pobres, segundo Aleluia, vão ter que obrigatoriamente diminuir o já limitado consumo para continuarem tendo o benefício ou pagarão bem mais caro. “Será que o governador Rui Costa quer acabar com a tarifa social só porque ela foi criada no governo de Paulo Souto?”.


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



banner adv