Doença antiga, que já fez muitas vítimas fatais nos séculos XVIII e XIX, a tuberculose ainda preocupa as autoridades de saúde. Em Salvador, dados preliminares apontam que 723 casos da doença foram registrados, esse ano, com 14 mortes. Em 2015, 1.618 casos novos foram notificados e 130 pessoas morreram. Com o objetivo de controlar a enfermidade, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), criou o Grupo Condutor Municipal de Controle da Tuberculose para planejar ações de prevenção, promoção e assistência de reabilitação do paciente. 
 
Trata-se de um grupo de trabalho multisetorial formado por representantes de diversas entidades municipais, além da sociedade civil, entre elas a SMS, a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) e o Comitê Baiano para Controle da Tuberculose. Em cronograma a ser definido nos próximos dias, a equipe se reunirá para elaborar políticas públicas voltadas para o tema. O primeiro encontro ocorre na próxima segunda-feira (17).
 
Uma das medidas a ser pensada pela equipe é a descentralização do serviço de prevenção e diagnóstico da doença para ambientes onde haja pessoas vulneráveis à infecção, a exemplo dos lugares que concentram moradores de rua. “É uma medida importante, porque quanto mais rápido a doença for diagnosticada, mais fácil será o tratamento”, disse a diretora de atenção à saúde da SMS, Luciana Peixoto.

banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player