Foto: Antonio Queirós/CMS

“Uma noite de revitalização da fé e de afeto”. Assim o padre Abel Pinheiro definiu a celebração católica realizada nesta sexta-feira (10), na Catedral Basílica, no Terreiro de Jesus, em homenagem ao padroeiro de Salvador, São Francisco Xavier. Com forte ligação com a Câmara Municipal, a tradicional missa contou com as presenças dos vereadores Geraldo Júnior (SD), presidente da Casa Legislativa; e Joceval Rodrigues (Cidadania). 

A solenidade teve início com queima de fogos e uma procissão que conduziu a imagem do santo ao altar-mor da Basílica. “Esta celebração tem um significado muito forte. São 333 anos de comemoração desse processo de reconhecimento do padroeiro da cidade do Salvador”, frisou o presidente Geraldo Júnior, destacando que cabe à Casa divulgar ainda mais a importante relação entre São Francisco Xavier e o Município.

Padre Abel agradeceu o apoio do presidente da Câmara na promoção do tradicional evento. “Estou feliz em proporcionar para a cidade, juntamente com a Câmara, uma festa jubilosa para celebrarmos São Francisco Xavier, que em 1686, no século 17, foi invocado pelo povo de Salvador e pelos padres jesuítas que intercedesse junto a Deus por causa de uma peste de febre amarela, que dizimava a população soteropolitana”, lembrou o pároco.
Os festejos também marcaram a entrega da primeira etapa da requalificação dos sinos da Catedral Basílica (dos séculos 16 e 17).

Clamor do povo

Defensor da bandeira do catolicismo, o vereador Joceval Rodrigues destacou o papel pioneiro da Câmara em eleger um padroeiro, como legítima representante da população, junto ao Vaticano. “É uma celebração histórica e marcante em nossa cidade, pois há 333 anos Salvador recebeu esta grande graça, que foi o clamor do povo por um intercessor. A Câmara de Vereadores recebeu o clamor da população e intercedeu perante o Vaticano. Isso é uma coisa muito forte, que marca a história da Câmara e demonstra a relação da Casa com a fé”, declarou Joceval.

Os festejos ao padroeiro contaram com apresentação da banda de música da Guarda Civil Municipal. Durante a missa, cânticos religiosos foram executados pelo Coro Barroco na Bahia, acompanhador pelo órgão de tubos da Catedral. 
Antes da missa, o historiador Francisco Sena recordou a vida do padroeiro de Salvador, que teve nome em homenagem a São Francisco de Assis. Participaram da missa festiva a cônsul de Portugal, Natalie Viegas; a defensora pública Carmella Maria Trocoli de Alencar; e o ex-vereador Silvoney Sales.



banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player