A vereadora Ireuda Silva (PRB), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara Municipal de Salvador, criticou a fala do ministro da Justiça, Sergio Moro, que, dentre outras declarações, disse que homens agridem mulheres porque se sentem “intimidados”. Nesta semana, a Lei Maria da Penha completou 13 anos, o que, para Ireuda, torna o posicionamento ainda mais inoportuno.

“O juiz Sergio Moro, no dia que se comemora 13 anos da Lei Maria da Penha, fez uma declaração que em partes ele tem uma certa razão, na parte que ele diz que há um crescente papel da mulher na sociedade,  mas em outras eu sinto muito discordar principalmente de um homem tão esclarecido. Moro precisa entender que as mulheres não sofrem agressão hoje por buscar o seu espaço e mostrarem que realmente tem tanta capacidade quanto o homem. Não se agride as mulheres hoje, se agride as mulheres desde sempre”, disse a republicana.

Ainda de acordo com Ireuda, “a diferença hoje é que as mulheres, devido a Lei Maria da Penha, começaram a entender que não precisam mais sofrer em oculto, mesmo sendo as denunciantes minoria. Ai das mulheres se não estivessem ocupando esse espaço de poder, ainda que pequeno, dentro do império machista”, acrescentou.

Em um evento em homenagem aos 13 anos da Lei Maria da Penha, Moro disse que “muitas vezes, se diz que são necessárias políticas de proteção à mulher porque, dizem, elas são vulneráveis. Mas isso não é verdade, porque elas são mais fortes e melhores do que os homens. Por que são melhores do que nós? Talvez porque nós, homens, somos intimidados e, por conta dessa intimidação, nós, homens, recorremos à violência para firmar uma pretensa superioridade que não existe”.



banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player