Pensar em cada aluno, planejar e então ministrar as aulas leito a leito. Esta é a rotina das professoras da Classe Hospitalar do Hospital Professor Eládio Lasserre, localizado em Cajazeiras, Salvador.

Realizada através da Secretaria de Educação, como parte do Serviço de Atendimento à Rede em Ambiências Hospitalares e Domiciliares (SARAHDO), a modalidade de ensino Classe Hospitalar tem como objetivo garantir a crianças, jovens e adultos hospitalizados ou enfermos a continuidade dos estudos no ambiente hospitalar.

Conforme a professora Edilene Rastely, ao dar entrada no hospital, o paciente e potencial aluno passa por escuta sensível para que suas prioridades e dificuldades sejam avaliadas. “Fazemos a escuta sensível para identificarmos em qual série o paciente parou e/ou que tipo de atividade iremos trabalhar com ele. Se for um aluno matriculado na rede, entramos em contato com a instituição de ensino, pegamos o conteúdo programático anual e então preparamos as aulas com base neste conteúdo, para que os alunos não fiquem atrasados em relação ao cronograma escolar”, explica.

Cada aula é preparada para ter início, meio e fim, já que, no dia seguinte, o paciente pode receber alta médica. Se necessário e de acordo com o tempo de estada, os alunos podem passar até mesmo por alfabetização.

Dona Ilda Maria Conceição, de 63 anos, acredita que a Classe Hospitalar ajuda a mantê-la calma e revigorada. “Não fico tensa e com vontade de chorar devido a doença”, revela. “Distraio, trabalho com a mente, me divirto e ainda aprendo. É bom demais!”, conta.

Edilene ressalta, no entanto, que a modalidade é diferente da denominada terapia ocupacional. “Trabalhamos com leituras, pinturas, mas aqui o nosso foco é mesmo o conteúdo educacional”, assegurou.



banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player