Número de transplantes renais na Bahia traz esperança a quem precisa de um novo rim para viver

O Brasil ocupa o segundo lugar no mundo em número de transplantes renais por ano. Porém, considerando as dimensões continentais do território, quando se analisa a quantidade de transplantes pelo viés da densidade populacional, o país aparece em 25ª posição, não sendo capaz de suprir sua demanda. Os dados relativos à Bahia favorecem os baianos, embora ainda estejam longe do ideal. Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde, só no primeiro semestre deste ano, foram realizados no estado 601 transplantes renais, número que representa um aumento de 13,39% comparado ao mesmo período de 2018. Os números referentes a este segundo semestre ainda não foram divulgados, mas especialistas que atuam na área acreditam que houve crescimento.

 “Só no Hospital São Rafael (HSR), acabamos de bater a marca histórica de 50 transplantes renais este ano. Este incremento nos deixa muito satisfeitos, pois representa a vida sendo preservada”, comemorou o uro-oncologista Augusto Modesto, integrante da equipe de Urologia do Hospital São Rafael ( HSR) / Rede D’Or. Segundo o médico, o aumento no número de transplantes renais no HSR revela a maior conscientização das pessoas acerca da importância da doação de órgãos, “um verdadeiro ato de amor”, frisou. Ele também atribui o recorde à gestão eficiente da rede e à integração e profissionalismo das equipes de urologia, nefrologia e anestesia da unidade. Recentemente, o Hospital Ana Nery (HAN), maior centro de Transplante Renal do Estado, celebrou a marca de 100 transplantes renais em 2019.

 

 Mais informações para a imprensa podem ser obtidas com a jorn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *