Lauro de Freitas capacita 150 médicos e enfermeiros para enfrentar o coronavírus

Cerca de 150 profissionais da rede municipal de atenção primária à saúde de Lauro de Freitas, entre eles médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos e gestores, estiveram, durante toda manhã desta segunda-feira (09), reunidos no auditório da Unime para participar do processo de educação continuada com foco no novo coronavírus (Covid-19).

A capacitação, que faz parte do plano de contingenciamento da epidemia no município, abordou a forma adequada de realizar atendimento em pacientes que apresentem os sintomas, notificação compulsória dos casos suspeitos da doença, diagnóstico e tratamento. De acordo com o médico infectologista e palestrante, Antonio Bandeira, o coronavírus causa infecções respiratórias brandas a graves. Os sintomas podem envolver coriza, tosse, dor de garganta e febre.

“Esses vírus algumas vezes podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia. Esse quadro é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos. O tempo de incubação varia de 2 a 14 dias. De uma forma geral, a principal forma de transmissão dos coronavírus se dá por contato próximo de pessoa a pessoa”, explicou.

Atento as explicações, o secretário municipal de Saúde (Sesa), Vidigal Cafezeiro, lembrou que as recomendações para impedir a propagação do vírus incluem a lavagem regular das mãos, cobrir boca e nariz ao espirrar e cozer bem carnes e ovos. “Deve-se evitar contato próximo com qualquer pessoa que apresente os sintomas de doenças respiratórias, como tosse e espirros”, salientou.

De acordo com o gestor, em Lauro de Freitas até o momento foram notificados seis casos suspeitos, desses três aguardam diagnóstico do exame realizado no laboratório Lacen. Os outros três foram descartados através de exames que constataram positivo para vírus Influenza A em dois casos, e o outro caso o diagnóstico foi vírus respiratório.

O coordenador da Vigilância Epidemiológica da Sesa (Viep), Daniel Assis, enfatizou quanto à importância da notificação compulsória em casos suspeitos, prováveis e confirmados. “Os profissionais devem notificar em até 12h a Viep (Vigilância Epidemiológica) de Lauro de Freitas pelo telefone 3369-9910. É necessário o uso da ficha técnica. A Coordenação de Investigação e Informação Estratégica de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do Estado também deve ser notificada pelo telefone 3116-0018”, frisou.

Cuidados

Os profissionais também receberam instruções para se prevenirem da doença e evitarem a transmissão. “Os equipamentos de proteção individuais, os EPIs, são fundamentais”, alertou Bandeira. “Máscara cirúrgica, avental e luvas no primeiro atendimento e máscara ‘bico de pato’ em caso suspeito”, enumerou.

Manejo

O médico também elencou os cuidados no atendimento aos pacientes com sintomas suspeitos. “Primeiro: identificar o paciente numa triagem para tomar medidas de prevenção à transmissão; a partir do atendimento, esclarecer se é diagnostico suspeito ou se há gravidade da doença, em especial, no caso do coronavírus, como uma pneumonia, o que levaria à internação”.

Os sinais comuns da infecção incluem sintomas respiratórios, febre, tosse e dificuldade para respirar. Nos casos mais graves, a infecção pode evoluir para pneumonia, síndrome respiratória aguda grave e até óbito. “Se o paciente não tiver sinais de gravidade que indiquem pneumonia ou insuficiência respiratória, por exemplo, ele vai poder ser acompanhado em casa”, esclareceu o médico.

A enfermeira Cleide Machado, do Espaço Cidadão na Itinga, elogiou a linguagem e a qualidade das informações da capacitação. “Todo mundo entendeu e compreendeu. É prevenção. Nós temos que estar prontos para agir”, observou.

Jornalista Giovanna Reyner

Foto Rafael Magno

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *