Fesfba amplia número de associados e fortalece a filantropia

Desde que assumiu a Presidência da Federação das Santas CasasHospitais e Entidades Filantrópicas do Estado da Bahia (FESFBA) no início do ano passado, Dora Nunes vem trabalhando pelo fortalecimento da entidade que representa o importante segmento filantrópico de saúde no estado.
E um dos caminhos é a ampliação do quadro de associados, para ratificar o slogan da sua gestão: “filantrópicos unidos e fortes”. Mesmo com a crise que o setor enfrenta, aos poucos novas entidades estão se filiando à FESFBA. São instituições do interior da Bahia “que vêm ampliar a nossa força e para as quais, também, o assessoramento da FESFBA é muito importante”,observa Dora Nunes
ASSOCIADOS 
Em um ano, a FESFBA conseguiu  a refiliação de  cinco associados: Santa Casa de Ilhéus,Hospital Senhora Santana de Caetité, Santa Casa de Santo Antonio de Jesus, APMI de Pojuca e Santa Casa   de Cachoeira. Este  ano , a FESFBA já contabilzava  até fevereiro quatro novos associados: Instituto de Saúde e Assistência Social, Cáritas Diocesana (Hospital São José), Cáritas Diocesana (Hospital São  Bernardo) e Hospital Padre Aldo  Cappola.
O  provedor da Santa Casa de Cachoeira ,Luiz Antônio Costa Araújo – a entidade foi refiliada  à FESFBA ano passado,- disse que  o crescimento do  número de associados é muito  importante para  fortalecer a luta dos filantrópicos. ”Com mais força poderemos influenciar o Estado para   maior valorização   do trabalho dos  filantrópicos ,traduzido  pela atualização da tabela SUS,cuja defasagem é um das causas  da crise  que sufoca o setor”
 
O provedor destacou o trabalho da presidente da Fesfba ,com visitas às entidades ,com o Programa Fesfba Itinerante, e o consistente diálogo com os associados,como importante estimulo para a  refiliacao e filiação de associados 
Para o presidente da Sociedade São Vicente de Paula ( no município de Morro do Chapéu), Maurício Brito Lima ,- está finalizando  providências para a refiliacao – o trabalho da Fesfba ė muito importante para a representação dos filantrópicos baianos  nas relações com o governo. 
O fortalecimento do setor  ė muito importante – pontuou – para o reconhecimento,” porque o serviço prestado ao SUS  pelos hospitais públicos custa de duas a três vezes mais que os filantrópicos”
À frente da  única entidade que presta assistência ao SUS em Morro do Chapéu,além de atender usuários de mais cinco municípios da região, Maurício Lima aposta na força da Fesfba.
” O gesto da presidente criando um grupo de whatsapp para dialogar com as entidades não – associadas foi um estímulo positivo para a nossa volta”,reconheceu.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *