Escolas estaduais da Bahia podem virar abrigo para moradores de rua durante pandemia

Deputado Samuel Júnior solicitou ainda a suspensão da cobrança de taxas municipais aos comerciantes onde houve decreto suspendendo o funcionamento do comércio
A orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde é de total isolamento social em face da pandemia de coronavírus, no entanto, os moradores em situação de rua encontram-se em extrema vulnerabilidade. Para evitar um impacto em massa dessa população, o deputado Samuel Júnior (PDT) indicou ao governador Rui Costa a utilização das escolas estaduais da Bahia como abrigo para os moradores.
A dinâmica de assistência será inspirada no modelo elaborado por Salvador, com a oferta de profissionais de saúde e alimentação para os que aceitarem abrigo, contêiner com avaliação clínica, alimentação e banho para quem não aceitar o acolhimento.
“Na Bahia não há um número exato dessa população, mas é certo que muitas vidas poderão sem poupadas, tendo em vista que são 417 municípios no território baiano. É preciso um esforço maior neste momento com a utilização de todos os órgãos e orçamento possíveis para salvar famílias, crianças e idosos que vivem nas ruas”, declarou Samuel.
Suspensão de cobrança de taxa para comerciantes
Para minimizar os prejuízos dos estabelecimentos comerciais no estado, o pedetista também solicitou a suspensão da cobrança de impostos e taxas municipais para os comerciantes, onde houve decreto suspendendo o funcionamento do comércio por conta da pandemia do COVID-19.
A motivação para tal propósito é óbvia, sem o funcionamento normal do comércio como os empresários terão condições de arrecadar recursos para o pagamento de impostos e taxas? A crise que estamos vivendo requer sensibilidade de todos e os municípios devem reduzir a carga tributária para que o setor empresarial possa passar por esse vendável”, justificou.
Após uma reivindicação do deputado Samuel Júnior, o governador Rui Costa visitou as instalações do Hospital Espanhol nesta quarta-feira (18) para inspecionar a situação da unidade hospitalar para o atendimento exclusivo dos pacientes de coronavírus na Bahia. De acordo com o chefe do Executivo baiano, a reabertura do hospital garantira o aporte de mais 160 leitos para assistência às pessoas com quadro clínico grave em decorrência de complicações causadas pelo vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *