Fabya Reis retira pré-candidatura à prefeitura de Salvador e apresenta a plataforma da EPS

Após reunião com a direção da Esquerda Popular Socialista (EPS), tendência interna do Partido dos Trabalhadores (PT), Fabya Reis, atual secretária de Promoção da Igualdade Racial da Bahia (Sepromi), retirou sua pré-candidatura à prefeitura de Salvador. Reis anunciou apoio à pré-candidatura de Major Denice e defendeu a plataforma política construída pela EPS em nome da unidade petista.

A secretária de Promoção da Igualdade Racial do governo Rui Costa, Fabya Reis, com a pré-candidata do PT Major Denice – Foto: Divulgação

“Agradeço a confiança da militância da EPS, dos movimentos sociais, a exemplo do MST e do Coletivo de Entidades Negras, e de diversas organizações do movimento negro. Encerro essa etapa com a lição de que a política deve ser o lugar do diálogo. Deste modo, a plataforma política da EPS é a nossa referência: nossas propostas visam a construção de uma prefeitura que olhe para a juventude negra, que amplie o acesso à saúde da população mais pobre, além de ter a educação como política fundamental. Queremos uma cidade inclusiva, que combata o racismo e as desigualdades de forma contundente”, enfatiza Reis.

A decisão de Fabya se deu na véspera da reunião do diretório municipal petista, que deve decidir ainda neste domingo (26) qual a candidatura oficial da sigla para a disputa do pleito municipal de outubro.  No entanto, a forma pelo qual o PT decidiu escolher a sua candidatura não foi bem acolhida por apoiadores de Fabya Reis. De acordo com o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), a pandemia de Covid-19 não pode ser justificativa para que a escolha não se dê em plenária virtual, convocada pelo partido.

“A Câmara Federal se reúne semanalmente de forma remota com 513 deputados. Por que não usar da tecnologia virtual para democratizar o debate e a escolha da candidatura à prefeitura de Salvador? O método de fechar apenas ao diretório não condiz com o PT, não honra com o histórico de uso de instrumentos democráticos com o conjunto da militância”, salienta Assunção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *