Hospital de campanha na Paralela entra na fase final de montagem

Previsão da Prefeitura é abrir estrutura ainda essa semana, garantindo mais 50 leitos de UTI

As ações municipais para ampliar o suporte a pacientes vítimas do coronavírus em Salvador não param. Após anunciar a implantação de 39 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), finaliza os preparativos para a abertura do hospital de campanha que é montado no Wet’n Wild, que terá, na primeira fase, 50 vagas de UTI e 40 de enfermaria.

Além disso, serão entregues até a semana que vem mais 47 novos leitos no Itaigara Memorial, no Caminho das Árvores, unidade de saúde privada requisitada pelo município para enfrentar a pandemia. Até a primeira quinzena de maio, serão 163 novos leitos de UTI e de enfermaria, incluindo os 39 já disponíveis em quatro hospitais da capital baiana.

No Wet’n Wild, na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), o Hospital de Campanha I (HCAMP I) já está praticamente pronto e vai oferecer 90 leitos, distribuídos entre a UTI e enfermaria. Neste momento, está em fase de finalização as instalações de rede elétrica, gás, refrigeração e câmara frigorífica.

A estrutura terá 600 profissionais, incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas e equipe administrativa e de serviços gerais. No mesmo local, está sendo montado o HCAMP II, que terá, numa segunda fase, a mesma quantidade de leitos e será utilizado, caso haja evolução dos casos de Covid-19 no próximo mês.

O coordenador de urgências do município de Salvador, Ivan Paiva, explica que a Prefeitura tem trabalhado de forma incansável para montar a estrutura necessária para atender os pacientes acometidos pela Covid-19, principalmente os casos mais graves da doença. “Estamos em ritmo bem acelerado, pois a Prefeitura tem trabalhado com planejamento para impedir a aceleração da doença na cidade”, afirma.

A evolução da doença em outros países tem mostrado que grande parte dos pacientes graves precisam de internamento e, consequentemente, de ventilação mecânica, ou seja, necessitam do uso de respiradores. Paiva assinala que a mortalidade pode ser reduzida, se as cidades conseguirem montar estruturas de hospitais para tratar a doença. “O caminho é o que estamos seguindo, ampliando esses leitos com assistência ventilatória”, frisa o médico.

Entregas – Os 39 novos leitos de UTI contra o novo coronavírus ofertados, no início da semana passada, estão distribuídos da seguinte forma: dez no Hospital Municipal de Salvador (HMS), cinco no Hospital Português (HP), 14 no Hospital Santa Izabel (14) e dez pediátricos no Hospital Martagão Gesteira (HMG).

Foto: Igor Santos/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *