Fiscalização pretende inibir presença de surfistas e banhistas nas praias

A Prefeitura iniciou, nesta quinta-feira (07), a vigilância das praias da capital com ênfase na fiscalização de surfistas. A operação, intitulada Praia de Bulhosa, pretende inibir a presença de cidadãos tanto na faixa de areia quanto no mar durante o período de isolamento social.

Fruto de uma parceria entre a Guarda Civil Municipal (GCM) e a Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar), a operação conta com abordagens aos surfistas no mar. O procedimento é efetuado por meio dos salva-vidas com uso de botes, pranchas e jet skis. Os profissionais orientam praticantes e banhistas sobre a necessidade de deixar o local para a preservação da saúde coletiva.

De acordo com o inspetor geral da GCM, Marcelo Silva, apesar de haver alguns pontos em que a prática do surfe é mais frequente, a exemplo do trecho próximo ao Barravento (Barra), e das praias de Piatã e Jaguaribe, a operação não é estanque e vai se adaptar constantemente. A proposta, segundo Silva, é que essa operação seja efetuada enquanto houver a presença de pessoas na praia, sejam surfistas ou não, durante a quarentena.

A Salvamar é responsável pela definição dos horários das abordagens com base na tábua da maré, recurso que os praticantes do esporte usam para programar os treinos. Já a Guarda Municipal vai intensificar o patrulhamento feito rotineiramente em toda a orla, além de dar apoio aos salva-vidas durante as abordagens.

Desde o fim de março, o acesso às praias foi vetado por meio de decreto municipal. Apenas pescadores, já que dependem da atividade para o sustento da família, seguem com livre acesso às praias de Salvador. No entanto, estes trabalhadores devem evitar aglomeração na faixa de areia e nas colônias de pesca espalhadas pela orla.

Fotos: Alfredo Filho e Bruno Concha / Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *