Bahia registra 5.546 casos confirmados e 198 óbitos de Covid-19

A Bahia registrou 5.546 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19). Considerando o número de 1.384 pacientes recuperados e 198 óbitos, 3.964 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.​
O boletim epidemiológico registra 10.864 casos descartados e 20.085 notificações. Até o momento, 623 profissionais de saúde tiveram diagnóstico positivo para Covid-19. A redução de 23 casos em relação ao último boletim justifica-se pela identificação de pacientes em duplicidade no momento da integração das diversas bases de dados.​
Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.​
Óbitos​
A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 198 mortes pelo novo coronavírus nos seguintes municípios: Adustina (1); Água Fria (1); Araci (1); Belmonte (1); Buerarema (3); Camaçari (3); Capim Grosso (3); Catu (1); Coaraci (1); Feira de Santana (2); Gandu (1); Gongogi (2); Ibirataia (1); Ilhéus (11); Ipiaú (2); Itabuna (6); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (2); Jequié (2); Jitaúna (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5); Maraú (1); Nilo Peçanha (1); Paramirim (1); Ribeira do Pombal (1); Salvador (128); São Francisco do Conde (1); Ubaitaba (1); Uruçuca (4); Utinga (1); Vera Cruz (1); Vereda (1) e Vitória da Conquista (4). Estes números contabilizam todos os registros de janeiro até as 12 horas deste domingo (10).​
197° óbito: mulher de 80 anos, residente em Paramirim, com histórico de doença pulmonar. A paciente estava internada em um hospital público no município de Vitória da Conquista, vindo a falecer ontem (9).​
198° óbito: homem de 67 anos, residente em Salvador, sem histórico de comorbidades. O paciente estava internado em um hospital público na capital baiana, vindo a falecer em 7 de maio.​
Ressaltamos que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação. Outras informações em saúde.ba.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *