Vereador sugere reordenamento no comércio informal e medidas restritivas na Avenida Joana Angélica

Vereador Odiosvaldo Vigas apresentou em 2019 propostas de relocação dos ambulantes que trabalham no local.

A Avenida Joana Angélica, no Centro da Cidade, passa a conviver a partir de segunda-feira (11) com novas medidas restritivas durante sete dias para enfrentar o Coronavírus Covid-19. Segundo o prefeito ACM Neto, serão proibidas na região as atividades comerciais, formais e informais, assim como os serviços não essenciais, exceto supermercados, farmácias, bancos e lotéricas.
Além disso, haverá interdição viária das 7h às 19h e os moradores somente podem acessar o local mediante apresentação do comprovante de residência.

Frente a essa decisão, o vereador Odiosvaldo Vigas (PDT) lembrou hoje (11) que no ano passado, através do Requerimento Nº 579/2019, solicitou à Mesa Diretora da Câmara Municipal de Salvador e ouvido o Plenário, que seja pedido à Prefeitura o reordenamento e a relocação dos ambulantes e vendedores de frutas que ocupam as calçadas no trecho entre a Piedade e a Avenida Joana Angélica. A intervenção envolveria ainda a área do passeio do prédio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), bem como o corredor que faz a ligação da Rua Coqueiros da Piedade/Estação da Lapa.

“Além disso, nossa sugestão para melhor ocupação desses locais, é que o trecho, localizado ao fundo do Gabinete Português de Leitura e que serve de estacionamento e mais o espaço contínuo ao referido local, seja projetado com equipamentos sem paredes. Nesse caso, recebendo uma rampa até a altura do Gabinete, seguindo até o ultimo pavimento, o qual seria destinado a uma área comercial, sendo que no último pavimento, haveria uma área de alimentação e de lazer infantil”.

Odiosvaldo Vigas já discutiu o assunto com o vice-prefeito Bruno Reis – secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, e este mostrou-se suscetível ao Requerimento. O vice lembrou que a seccional OAB também já pediu solução ao reordenamento da região. O edil justifica ainda que na situação atual fica difícil a locomoção de pedestres e a passagem de veículos, lembrando que os ambulantes e vendedores de frutas merecem lugares adequados para trabalhar. E trata-se ainda de uma área central da cidade e muita visitada por turistas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *