Sagrada Família já recebe primeiros pacientes no combate ao coronavírus

Na semana mais crítica da pandemia na cidade, Salvador recebe a terceira unidade de saúde de emergência exclusiva para o combate à doença, instalado no Hospital Sagrada Família, no Bonfim. A entrega do equipamento, que já passa a receber pacientes na tarde desta terça-feira (26), teve as presenças do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis, do secretário municipal da Saúde, Leo Prates, e de Maria Rita Pontes, superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), entidade que vai gerenciar o serviço, além de corpo técnico e imprensa.

Com funcionamento todos os dias em esquema 24 horas, serão ofertados, inicialmente, 38 leitos, sendo cinco de UTI e 33 de enfermaria. Até o próximo dia 8, todos os 75 leitos, sendo 20 de UTI e 55 clínicos, estarão em operação. Caso seja necessário, a unidade poderá ter, ainda, mais 36 vagas, sendo 20 para UTI e 16 de enfermaria.

O prefeito ressaltou a realização do esforço municipal, desde o início da disseminação do novo coronavírus, para a ampliação da rede assistencial de saúde com a implantação de novos leitos, em conjunto com o governo do Estado. 

“Desde que percebemos a magnitude da pandemia, a Prefeitura procurou se antecipar as fatos. Além de já existir o Hospital Municipal de Salvador e leitos contratualizados em outras unidades filantrópicas, tivemos que correr atrás para reforçar o sistema. Daí conseguiu-se implantar os hospitais de campanha no Itaigara Memorial (Caminho das Árvores) e no Wet’n Wild (Paralela), assim como estão sendo instalados os gripários nas UPAs e, agora, a unidade do Sagrada Família”, relatou ACM Neto.
 
O secretário Leo Prates alertou que os esforços só terão efeito completo com a colaboração da população. “Além desses novos leitos, esforço também realizado pelo governo do Estado, estão sendo feitas ainda medidas restritivas para frear a transmissão do coronavírus. No entanto, precisamos da colaboração das pessoas, que precisam entender a gravidade do momento e ficar em casa, evitando assim o que estamos vendo em outras localidades do país, que enfrentam falta de leitos”, declarou.
 
Gestão – O prefeito lembrou, ainda, que este novo equipamento é fruto da requisição administrativa feita pela gestão municipal ao Hospital Sagrada Família, com administração pela Osid, cujo projeto de lei foi aprovado pela Câmara há duas semanas. 
 
A unidade é entregue justamente no dia em que Santa Dulce dos Pobres completaria 106 anos de nascimento. “Mais uma vez ela está aqui para operar milagres, para abençoar e proteger a todos, dando força e condições para que todos consigam enfrentar essa pandemia”, completou o prefeito.
 
“Estamos aqui para servir nessa missão que considero uma das mais desafiadoras, pois é um inimigo invisível, uma guerra que estamos vivenciando nesse tempo. Queremos, em breve, nos despedir deste espaço tendo conseguido salvar vidas”, disse Maria Rita.
 
Estrutura – Além dos 75 leitos de UTI e enfermaria, a unidade Sagrada Família também vai ofertar exames laboratoriais e de radiologia, tomografia computadorizada, ultrassonografia com Doppler, eletrocardiograma, hemoterapia, hemodiálise e diálise peritoneal, além de realização de procedimentos invasivos como traqueostomia, dentre outros. 

A equipe de 544 profissionais é composta por médicos plantonistas e diaristas de UTI e de enfermaria, infectologista, cirurgião geral, pneumologista, radiologista, fisioterapeuta, enfermeiros especializados em UTI e internamento, bioquímicos, farmacêuticos, nutricionista, assistentes sociais, psicólogo e técnicos de enfermagem, de laboratório e de radiologia, assim como corpo administrativo e suporte operacional.
Fotos: Valter Pontes/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *