Sindimed denuncia atrasos de remuneração em maternidade de Alagoinhas

O Sindimed denuncia recorrentes atrasos de remuneração dos médicos da Maternidade Doutor João Carlos Meireles Paolilo, Hospital Municipal de Alagoinhas. Nos últimos seis meses, a empresa ASM, responsável pelo pagamento, vem sendo impontual no pagamento dos vencimentos, alegando atraso no repasse por parte da Prefeitura de Alagoinhas. O problema vem historicamente sendo repetido na gestão das diversas empresas que assumiram a terceirização dos médicos na maternidade.

“Com os frequentes atrasos de remuneração, os médicos ficam em uma situação financeiramente muito complicada e isso tem gerado uma grande rotatividade no quadro de profissionais. Então, esse problema pode ainda, infelizmente, gerar uma desassistência da população “, afirma a presidente do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia, Dra. Ana Rita de Luna. O Sindimed já notificou o hospital, exigindo a regularização.

Ela acrescenta que o Sindicato lastima esta situação ainda mais por ser um período de pandemia. “Essa maternidade de Alagoinhas é um hospital de referência para a região, recebendo gestantes de várias cidades. Neste momento crítico para a saúde, não pretendemos deflagrar uma paralisação, mas é lamentável que, sabendo disso, a gestão incorra repetidamente no desrespeito aos médicos, insistindo no descumprimento do prazo de pagamentos”, afirma a Dra. Ana Rita.

No quadro dos médicos, por plantão, há dois obstetras, um pediatra e um anestesista. “Além dos médicos estarem, como terceirizados, muito vulneráveis, sujeitos a perder o emprego, há este agravante. Após um mês inteiro de trabalho, arriscando suas vidas, ainda enfrentam as incertezas no recebimento da remuneração, porque a saúde não é priorizada”, afirma a presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *