Mais de 1 milhão de pessoas são infectadas anualmente pelo vírus da Hepatite A

Julho é dedicado à prevenção das hepatites virais e pacientes com Covid-19 podem evoluir para casos mais graves, se a doença do fígado não for tratada adequadamente

Apesar da pandemia do novo coronavírus, que tem afastado pacientes das rotinas de acompanhamento médico de outras patologias, julho continua sendo um mês dedicado à luta e à prevenção das hepatites virais, principais causas do câncer de fígado. Pacientes com coronavírus associado às hepatites podem manifestar formas mais graves da doença no fígado, como alertam especialistas.

O coronavírus pode fazer algumas alterações nas enzimas do fígado, simulando uma hepatite. “Uma vez no sangue, o coronavírus, como qualquer agente infeccioso, bacteriano ou viral, pode fazer esse processo inflamatório no fígado, causando a chamada hepatite transinfecciosa”, alerta o hepatologista Allan Rêgo, coordenador do Serviço de Gastroenterologia, Hepatologia e Endoscopia Digestiva do Hospital Cárdio Pulmonar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *