Especialista alerta: cuidar da alimentação para retornar às atividades físicas é fundamental!

A quarentena fez muita gente desanimar e parar com a atividade física e a atenção com a alimentação. Agora, com as academias já reabertas, oferecendo um protocolo com segurança para a retomada dos exercícios, cuidar da alimentação é preciso, para evitar problemas. Ficar em casa confinado gerou reflexos na saúde física: mais tempo sentado, redução das atividades rotineiras e nos treinos, gerando uma falta de condicionamento. O resultado disso foram pessoas estressadas, perdendo o tão suado condicionamento físico e, em muitos casos, com dificuldade em manter uma alimentação saudável e nutritiva. “O mais provável é que algumas pessoas tenham perdido massa muscular e ganhado gordura nesse período. Manter uma alimentação desregrada durante tantos meses de isolamento, aliado a um excesso de calorias e um maior consumo de bebida alcoólica, gerou dificuldades em manter o equilíbrio do organismo”, comenta Gabriel Pacheco, nutricionista na Rede Alpha Fitness.

Mas tudo isso pode ser revertido! Cortar toda a comida nunca será o melhor caminho para perder o peso adquirido ao longos dos meses em casa. Deve-se cortar nesse momento os alimentos calóricos e de baixo valor nutricional, bem como álcool rotineiramente. “A melhor opção agora é fazer uma alimentação equilibrada, com carboidratos distribuídos ao longo do dia, proteínas magras, gorduras sob controle e claro, muitos micronutrientes, presentes em legumes, verduras e frutas. Manter uma alimentação colorida e variada é a regra”, explica o nutricionista da Rede Alpha Fitness.

Com o tempo, o organismo vai retomando o seu ciclo habitual e o corpo desinchando e perdendo peso. Para não perder massa magra, e até tentar ganhar, treinos com pesos são indicados (sempre com a orientação de um profissional de educação física para ajustar a carga). “Nada de ‘inventar moda’. Apenas cortem os excessos! Tentar reduzir ao máximo o açucar e a farinha, e optar por comida ‘de verdade’, como legumes, verduras, frutas (limão, manga, uvas, maçã, abacaxi), carnes, ovos, queijos, oleaginosas, pescados (sardinha, atum, salmão) e azeite de oliva”, completa o especialista. Gabriel ressalta que é muito perigoso aderir às dietas de internet, genéricas ou ainda resolver praticar exercícios sem o devido aporte alimentar; para evitar desmaios e até lesões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *