Talita Oliveira cobra posição mais severa contra Rui Costa após comprovação de irregularidades na compra de respiradores

O Ministério Público de Contas de Alagoas divulgou nesta quarta-feira (14), identificou que houve irregularidades na compra de respiradores pelo Consórcio do Nordeste, chefiado pelo governador Rui Costa (PT), causando um prejuízo de quase R$ 50 milhões do dinheiro público em meio à pandemia do novo coronavírus.

A deputada estadual, Talita Oliveira (PSL), cobra uma posição enérgica do Superior Tribunal de Justiça (STJ), responsável por julgar os chefes executivos estaduais, sobre o caso que deve penalizar Rui. “Estou confiante que o Ministério Público Federal (MPF), também fará a sua parte e que o povo não vai assistir, de novo, tudo terminar em pizza enquanto seus familiares estão em filas de hospitais. Quantas cestas básicas para os nordestinos que precisam pedir ajuda na sinaleira esse dinheiro pagaria?”, questionou.

O Procurador-Geral do MP de Contas, Gustavo Albuquerque, relacionou em seu parecer o fato à ausência da entrega dos ventiladores (totalizando 80), de transparência das aquisições dos aparelhos por intermédio do colegiado de governadores, de indicação da razão de escolha do fornecedor, da justificativa do preço praticado, de parecer jurídico da Procuradoria Geral do Estado (PGE), além da inexistência de estudo técnico demonstrando a necessidade da compra e a verificação de supostas irregularidades no pagamento.

Para a parlamentar está mais do que claro uma irresponsabilidade fiscal no Governo da Bahia. “Quando os três responsáveis foram presos em uma operação da Polícia Federal, um deles citou o nome do ex-secretário da Casa Civil, Bruno Dauster que saiu por ‘motivos pessoais’, logo depois que esse absurdo aconteceu. Vou cobrar até o fim o resultado dessa investigação. A população merece”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *