“A eleição na Bahia ainda não está resolvida”, diz cientista político 

Por Rodrigo Daniel Silva, Repórter e Paulo Roberto Sampaio, Diretor de Redação

Apesar da liderança folgada do ex-prefeito soteropolitano ACM Neto (União Brasil), o cientista político e professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Jorge Almeida, acredita que a eleição para o governo da Bahia ainda não está resolvida.

“Não está resolvida. A campanha não começou ainda. O quadro só vai ficar mais claro depois do início da campanha oficial. A influência do horário eleitoral está menor do que em outros tempos, mas a televisão continua tendo parte importante em uma parte do eleitorado desinformado. Que não está informado pelas redes sociais”, avaliou ele, em entrevista à Tribuna.

Para ele, a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Lula (PT) é inevitável. “Isso já está colocado. Do ponto de vista eleitoral, sem dúvida. Não há outra hipótese. Agora, se isso vai se resolver no primeiro turno ou não, está pendente”, afirmou.

Jorge Almeida também considera inevitável a influência da eleição nacional no pleito baiano. “A nacionalização sempre acontece aqui na Bahia também, apesar de na última eleição ter a vitória de Rui Costa com a vitória de Bolsonaro em nível nacional. Isso foi fruto da utilização da máquina do governo e da imagem positiva. Rui era uma candidatura de reeleição. Isso facilita”, pontuou.

Leia matéria completa na Tribuna

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.