Ações reforçam proteção à vida em locais com isolamento mais restrito

As medidas regionalizadas para enfrentamento da pandemia do coronavírus, que passaram a valer nesta segunda-feira (11) no Centro, Boca do Rio e Plataforma, determinam não apenas restrições de atividades comerciais e bloqueio de vias. Oito ações de proteção à vida começaram a ser realizadas especificamente nesses locais, com o objetivo de desacelerar a curva de crescimento de casos da doença.

As três áreas registraram aumento de circulação de pessoas e veículos, o que consequente elevou os níveis de contaminação. Portanto, a Prefeitura montou uma estratégia que envolve distribuição de máscaras de proteção, aferição de temperatura, testagem rápida para Covid-19, higienização e lavagem das ruas, serviços do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Itinerante, apoio a instituições sociais, ações contra o mosquito Aedes aegypti e distribuição de cestas básicas para feirantes e ambulantes.

“Percebemos que os indicadores de contaminação estão aumentando muito nessas regiões. Quando é necessário, a Prefeitura está ampliando as medidas de restrição, mas nosso foco principal é salvar o maior número de vidas”, destaca o titular da Secretaria Geral de Articulação Comunitária e Prefeituras-Bairro, Luiz Galvão.

As atividades ocorrerão pelos próximos sete dias, isto é, até domingo (17), com exceção da entrega dos alimentos para o comércio informal, que só aconteceu hoje (11), na Praça da Piedade, no Centro, e nas escolas municipais Metodista Susana Wesley (Boca do Rio) e Deputado Cristóvão Ferreira (Plataforma). De acordo com a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), aproximadamente 500 cestas básicas foram distribuídas.

Saúde – A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) estima realizar 100 testes rápidos por dia, em cada um dos três bairros, através de unidades móveis. O cidadão pode ter a temperatura aferida através de um aparelho em formato de pistola e, se apresentar acima de 37,8ºC, será encaminhado para fazer o teste.

O procedimento é feito através de uma punção digital (furo no dedo) após o paciente fazer um cadastro, e o resultado é encaminhado no prazo de 15 minutos por meio de mensagem de texto para o celular da pessoa. Se der positivo para o coronavírus, o cidadão será orientado a fazer o isolamento e fará a contraprova.

Em Plataforma, a ação acontece no fim de linha, próximo à Unidade de Saúde da Família (USF) do bairro. Na Boca do Rio, a iniciativa é realizada próxima ao posto de saúde do final de linha. Por fim, no Centro, é promovida no camelódromo defronte ao Instituto de Previdência de Salvador (IPS), na Avenida Joana Angélica.

Foto: Max Haack/Secom

Já o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão vinculado à SMS, atua com um total de cinco equipes nos três bairros, aplicando inseticida contra o mosquito Aedes aegypti. Isso porque a capital baiana também registrou aumento de casos de arboviroses como dengue, zika e chikungunya nos últimos meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *