Antonio Miranda leva música “Pingo de Juízo” ao desfile de 2 de Julho

Cantor e compositor baiano fez intervenção artística da música “Pingo de Juízo” para gravação de clipe, durante cortejo. Música integra seu novo disco “Depois do Ovo”

O cantor e compositor baiano Antonio Miranda esteve presente durante o cortejo do 2 de julho, caminhando ao lado de um carrinho de café que entoava uma de suas músicas novas “Pingo de Juízo”, que integra seu novo disco “Depois do Ovo”. Ao som de uma mistura rítmica latina com elementos da salsa e música caribenha, Miranda canta “Quando pintar por aqui um pingo de juízo / eu vou sair por aí distribuindo/ Vai pingar juízo pra todo lado/ Ajuizando o malcriado/ Incensando o conformado.” Segundo o artista, a música, assim como a festa do 2 de julho, trazem um significado tropicalista de liberdade e crítica social.

A intervenção artística foi registrada e servirá como base para o clipe da música. O disco “Depois do Ovo já está disponível nas plataformas digitais (Ouça aqui: https://tratore.ffm.to/depois-do-ovo), conta com 11 canções autorais e uma faixa bônus  com a participação deRenato Teixeiracantando uma nova versão de“Se não houvesse mais música”.

Antonio Miranda participou da época de efervescência cultural dos festivais de música locais e nacionais, entre os anos 60 e 70, onde participou como finalista com composições de sua autoria, chegando ao 1º lugar no primeiro festival de música realizado na Bahia. Agora o artista retoma sua produção musical com um diálogo afinado entre passado e presente que constrói a diversidade da música brasileira. O álbum tem produção assinada por Paulo Mutti, através do Selo Benzza Music, direção musical de André Tiganá, capa é de Daniel Kalil.

SOBRE – ANTONIO MIRANDA 

Antonio Miranda está na estrada desde os tempos do LP. Em 1967, participou do primeiro festival de música realizado na Bahia, conquistando o 1º lugar, em parceria com Antonio Renato Froes (Perna). O júri era formado por Caetano Veloso, Gilberto Gil, José Carlos Capinan, Carlos Coqueijo e Vinicius de Moraes. A música foi interpretada por Sue Saphira, acompanhada pelos quartetos Canto 4 e Momento 4, que tinha entre seus componentes Moraes Moreira.

Participou de várias edições da Feira Permanente de Música Popular Brasileira da TV Tupy, em São Paulo, sagrando-se sempre como finalista, com músicas surpreendentes. Uma delas, “Zero Zero Nada Nada” que– só continha números na letra e teve arranjo inicial do maestro Rogério Duprat.É dessa época, fim da década de 60, a sua convivência musical com Paulinho da Viola, cuja composição “Foi um Rio que Passou em Minha Vida” conquistou o primeiro lugar no festival em que “Zero Zero Nada Nada” obteve o segundo. Profissionalmente, Miranda decidiu trilhar os caminhos da produção cultural, publicidade e propaganda – sem, entretanto, abandonar a criação musical.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.