“Bolsonaro flerta com a ditadura, ameaça a autonomia das universidades e quer controlar mídia”, diz Marcelinho

O deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) segue a linha de oposição ao governo Bolsonaro (sem partido) e volta a criticar a gestão do presidente. Uma série de ações que chegam a ter caráter ultraconservador e ditatorial foi listada pelo parlamentar para fundamentar que o governo federal tem perseguido estados e municípios e negligenciado ajuda no combate e enfrentamento à pandemia. A medida provisória sobre a nomeação de reitores sem eleição e a recriação do Ministério das Comunicações foram alvos e críticas de Veiga nesta quinta-feira (11).

“Bolsonaro flerta com a ditadura, ameaça a autonomia das universidades e quer controlar a mídia. Ele e sua turma cortaram recursos do Bolsa Família no Nordeste, tem incentivado o fim do isolamento social, a inércia e mau exemplo durante a pandemia geraram até agora mais de 40 mil mortos. Agora tenta liberar a nomeação de reitores de universidades federais sem eleição, e recria um ministério apenas para administrar uma rincha pessoal com a imprensa. Por não aceitar a verdade e quer disseminar notícias falsas por outros meios”, salienta Marcelinho.

Para o parlamentar, “a Câmara Federal deve mesmo devolver a medida provisória sobre a nomeação dos reitores ao presidente”. Veiga diz ainda que a atuação no setor de Educação é preocupante, e que se o governo não tomar uma atitude urgente, milhares de crianças e adolescentes vão perder todo o ano letivo por inércia do Ministério responsável. “É lamentável notar que a educação não é prioridade. O que mantém esse governo ainda é fake news. Quando conseguirmos mostrar para as pessoas que estão sendo enganadas e humilhadas vamos conseguir mudar algo neste país”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *