Delegado solicita medida protetiva para mulher espancada por vereador na região de Jacobina

Segundo na  ocorrência policial, a  vítima teria sido agredida a coronhadas de revólver

O delegado Cléber Antonio de Azevedo e Silva encaminhou à justiça pedido de Medida Protetiva de Urgência em favor de uma mulher vítima de agressão física por parte do ex-esposo no município de Caém, na região de Jacobina.

Na madrugada do último sábado (25), a dona de casa Jirlândia Costa dos Santos, 27 anos, compareceu à delegacia de polícia da cidade, para prestar queixa de agressão contra seu ex-esposo Joelson Silva dos Santos, 33 anos,  conhecido como Jó do Mô, que é vereador naquele município pelo Partido Social Democrático (PSD).

De acordo com relatos na ocorrência policial, na madrugada de sábado (25/06), por volta das três horas, o vereador Jó do Mô teria invadido a residência da vítima, que fica localizada na Fazenda Várzea da Pedra, povoado de Piabas, interior do município de Caém.

Separado de Jirlândia Costa há um ano, e com quem tem um filho de seis anos, o vereador Jó do Mô não queria gostado de ver a ex-esposa numa festa junina que acontecia no povoado do Piabas.

A vítima relata na ocorrência policial que, quando chegou em sua casa, se deparou com Jó do Mô, que de imediato a puxou pelos cabelos e com uma arma e punho, tipo revolver, aplicou uma coronhada na testa, braço e orelha.

Em áudio que chego à redação do Notícia Livre, a vítima relata que teria sido salva com a ajuda da família.

Ouça:

O portal também teve acesso a algumas imagens, onde a vítima apareceu marcas que teria sido causadas durante a agressão: 

Medida Protetiva 

Com base na Lei Maria da Penha, delegado Cléber Antonio de Azevedo e Silva, responsável pela Delegacia de Caém, solicitou a concessão de Medida Protetiva de Urgência, visando a proteção da integridade física da vítima, bem como dos seus familiares e testemunhas.

Neste caso, a Lei Maria da Penha obriga o Estado a proteger a vítima até que as investigações policiais terminem e a ação penal se inicie. A depender da gravidade da situação, é possível que seja determinada prisão preventiva do acusado.

Em relação ao acusado 

A redação não conseguiu contato com o vereador Jó do Mô, para ouvi-lo em relação às acusações de agressão contra sua ex-esposa.

O presidente da Câmara Municipal de Caém, vereador Pablo Piauhy, afirma que o Poder Legislativo “repudia qualquer agressão física, verbal e moral praticada contra mulheres”.

“Nos solidarizamos com a vítima e com seus familiares. Temos que unir forças por uma sociedade mais justa e igualitária, onde todos tenham os mesmos direitos e sejam respeitados, independente de gênero, cor ou ideologia”, afirma o presidente da Câmara de Caém.

Por meio da nota, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereador de Caém, informa que acionará o Ministério Público, o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para que sejam tomadas as providências cabíveis, a fim de assegurar que a vítima “possa receber do Estado o devido acolhimento com as medidas protetivas necessárias, além de encaminhamento para serviços da Rede de Atendimento e Enfrentamento à Violência contra a Mulher”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.