Edvaldo Brito participou hoje em Brasília de eventos encerrando o Mês da Consciência Negra

O vereador Edvaldo Brito (PSD) participou hoje (30.11) em Brasília da sessão solene de entrega do relatório final da comissão de juristas criada pela Câmara dos Deputados para propor o aperfeiçoamento da legislação de combate ao racismo no país. Presidida pelo ministro Benedito Gonçalves, do STJ, a comissão teve como relator o advogado Sílvio Almeida, autor do livro Racismo Estrutural, que foi aluno de Brito na Universidade Mackenzie, em São Paulo. Entre as propostas apresentadas estão a renovação da validade das cotas nas universidades, cuja vigência se encerra em 2022, a implementação de formas de avaliação das políticas de combate ao racismo, a criação de um protocolo de promoção da igualdade a ser cumprido por todos os órgãos da administração pública e o aumento dos recursos orçamentários para a política de combate ao racismo institucional.

Antes da sessão solene, Edvaldo Brito foi um dos oradores no debate que teve como tema “A desigualdade e a violência contra a mulher negra no Brasil”, organizado pela deputada federal baiana Tia Eron (Republicanos). O jurista baiano, filho de uma lavadeira e de um pedreiro, falou sobre as dificuldades que teve na vida, destacando a educação como o diferencial que promove a ascensão social. Ele foi convidado para os eventos pelo seu filho, o deputado federal Antonio Brito, líder da bancada do PSD. “É uma luta que não oferece trégua e parabenizo a Câmara dos Deputados por essas iniciativas. Devemos sempre estar em busca do aprimoramento da nossa Justiça e de proporcionar igualdade de oportunidades para os negros. Fico feliz em estar ao lado de tantas autoridades no assunto e de poder dar, mais uma vez, a minha contribuição ao lado de ex-alunos”, comemora Brito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *