Hospital Municipal é referência em procedimentos de média complexidade na RMS

Em uma rápida busca nos prontuários cirúrgicos, em conversas com profissionais e pacientes, ou mesmo em uma circulada pelas dependências do Hospital Municipal Doutor Eurico Goulart de Freitas, de Marta de São João, é possível perceber que estamos em uma unidade hospitalar pública, brasileira, diferente do habitual. Sobretudo para um município com apenas 46 mil habitantes.

Com ambientes confortáveis e organizados, equipamentos de última geração e profissionais prestativos e comprometidos com os pacientes, o hospital municipal atendeu mais de 160 mil pessoas e realizou uma média de 1,2 mil cirurgias em 2019, entre procedimentos de emergência e eletivos.

A unidade hospitalar conta com um Centro de Parto Natural (CPN), duas salas cirúrgicas muito bem equipadas, aparelhos de laparoscopia (ou de procedimentos minimamente invasivos) e um Centro de Diagnóstico por Imagem, com tomógrafo, mamógrafo e modernos equipamentos de ultrassonografia e radiologia.

São 46 leitos, incluindo pós-operatórios, pós-parto e clinica geral. Um cirurgião, um clínico, um pediatra, um obstetra e um anestesista ficam de plantão 24 horas, todos os dias da semana. “O que nós propomos a fazer, na esfera municipal, fazemos e vamos além. Uma cidade que tem menos de 50 mil habitantes e tem tomógrafo, faz mais do que seu dever de casa”, explica a secretária de Saúde do Município, Tatiane Rebouças.

A secretária também destaca o suporte que o hospital recebe dos serviços hospitalares da Rede de Saúde Municipal. São 14 postos do Programa Saúde da Família (PSF), que cobrem 100% da população em atenção básica e saúde bucal.  Para atendimento complementar e especializado, tem uma Policlínica com 15 especialidades médicas e cerca de 15 mil atendimentos por ano.

Média complexidade – O hospital municipal de Mata é considerado de média complexidade, por mão possuir Centro de Terapia Intensiva (UTI). Porém, devido à estrutura e ao empenho dos profissionais, apresenta ocorrências cirúrgicas de sucesso, em pacientes em estado de emergência, que não teriam tempo de enfrentarem o processo de regulação (transferência para hospitais estaduais).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.