Alderico Sena 

 

Não poderia deixar de prestar uma singela homenagem em vida ao meu eterno Mestre      Dr. Norberto Odebrecht pelo aprendizado e os bons ensinamentos profissionais a mim repassados e por ter sempre me dado forças nos momentos que requisitei o seu apoio como ocorreu no atendimento das minhas perguntas para a conclusão do TCC – Trabalho de Conclusão de Curso da Pós Graduação em Gestão de Pessoas nas Faculdades Integradas Olga Mettig no ano de 2010, disponível  para consulta no Google.

Um dos objetivos que me fez retornar para a sala de aula aos 60 (sessenta anos) de idade para cursar uma Pós-Graduação em Gestão de Pessoas, foi o de agradecer ao Dr. Norberto Odebrecht com uma Monografia sob o Titulo: FILOSOFIA DE GESTÃO APLICADA PELO EMPRESÁRIO NORBERTO ODEBRECHT NA ORGANIZAÇÃO ODEBRECHT, onde com muita honra lhe presenteei no dia 26 de Março de 2012, na Sede da Odebrecht na Paralela.

O presente trabalho teve como principal estratégia identificar a filosofia de gestão aplicada pelo Empresário Norberto Odebrecht na Organização Odebrecht.  Ele desenvolveu ao longo de seis décadas uma tecnologia empresarial baseada em conjunto de princípios, conceitos e critérios que dá unidade ética e cultural à atuação de todas as pessoas de sua organização. A Tecnologia Empresarial Odebrecht é uma filosofia de vida com vista às responsabilidades sociais, é constituída por referências culturais e éticas que visam à sobrevivência, ao crescimento e a perpetuidade da Organização, por meio da identificação, conquista e satisfação do cliente e dos que o servem. No mundo marcado pela instabilidade Norberto Odebrecht, um dos maiores empresários brasileiros, construiu um conjunto de princípios fundamentais com base cultural estável para o crescimento da Organização Odebrecht, trata-se de um exemplo de um grande grupo nacional que se estruturou com base numa visão filosófica do trabalho.  

As perguntas abaixo foram respondidas na íntegra pelo Empresário Norberto Odebrecht para abrilhantar a opção do Objeto de Estudo do meu TCC–Trabalho de Conclusão de Curso:

1 – Qual o Modelo de gestão aplicado pelo Empresário Norberto Odebrecht na Organização Odebrecht?

Primeiramente, é importante registrar que há alguns vocábulos empregados com um significado diferente daquele ao qual se possa estar habituado, especialmente no caso dos termos utilizados para designar os Princípios e Conceitos e Critérios que integram as Concepções Filosóficas da Organização Odebrecht. Há uma linguagem única da Organização, base sobre a qual repousa o nosso Sistema de Comunicação e Informações.

Os Princípios, Conceitos e Critérios que formam a nossa Cultura não foram inventados. Foram aprendidos e sistematizados ao longo de décadas de Vida Empresarial. Essa Cultura é intitulada de T.E.O. - Tecnologia Empresarial Odebrecht.

Dentro dos Princípios, Conceitos e Critérios da T.E.O., entendemos que a expressão “gestão” não é a mais adequada a ser empregada na linguagem da organização de uma Empresa, já que o Líder Responsável é o Empresário que tem como Negócio o reiterado exercício do Direito e do Dever de Servir ao Cliente, sempre com Criatividade visando à Inovação.

Esse Líder, não é um mero “Gestor” do Negócio ou daquele que realiza o “atendimento da demanda preexistente”. Assim, a necessidade do Cliente é a fonte de onde brota a Criatividade do Empresário.

O Líder tem que atuar com comprometimento, envolvimento e Espírito de Servir, sendo a Marca da Odebrecht: «a Grande Empresa com Espírito de Pequena Empresa», cuja BASE é a Simplicidade e a Humildade na prática dos Princípios, Conceitos e Critérios que compõem as nossas Concepções Filosóficas, nossa Cultura.

Se a prática é o Critério de o que é Certo (Eficácia) e melhor para Todos e o TODO, então, ao menos no Âmbito de nossas Empresas, os Princípios, Conceitos e Critérios mencionados são verdadeiros e devem continuar sendo praticados, sob pena de por em risco a Sobrevivência, o Crescimento e a Perpetuidade da própria Organização.

É preciso enfatizar que todo Ser Humano, a despeito da idade, gênero e instrução, constitui-se em um Ser acabado e interdependente, capaz de desenvolver-se, inovando a si mesmo e assumindo novas e crescentes Responsabilidades. Este ponto representa o fundamento sobre o qual repousam nossas Concepções Filosóficas e, mais especificamente, nossa Confiança no Ser Humano, na busca do Desenvolvimento e Crescimento com Sustentabilidade, respeitando as leis da Natureza, negando sempre a deterioração.

A Tarefa Empresarial consiste em Coordenar, sinergicamente, Seres Humanos e integrar os Resultados de seus respectivos trabalhos, criando o TODO que o Cliente quer, precisa e está disposto a comprar.

Na Vida Empresarial há um fato inelutável: um Bem ou Serviço só se converte em Riqueza Moral e em Riqueza Material se existir um Cliente capaz de valorizar o que foi produzido pelo Empresário e de recompensá-lo adequadamente.

Onde houver um Cliente com necessidade a serem satisfeitas e capacidade de retribuição, existirá um Empresário pronto para Servi-lo, pois Cliente e Empresário são as duas faces da mesma moeda: um não existe sem o outro.

O Modelo de Empresariamento da Organização Odebrecht pode ser resumidamente definido como:

Integrar continuamente novos e bons Empresários e, por intermédio deles, satisfazer, cada vez mais e melhor, os atuais e futuros Clientes, em cada um dos países nos quais atuamos, fugindo da Deterioração;

2 - Qual a mensagem do Dr. Norberto Odebrecht aos Jovens Empresários?

Para a Organização Odebrecht, Jovem de Talento é o potencial Líder Empresarial possuidor de Vontade e Capacidade de Servir, bem como da Inquietude, Coragem, Desprendimento, Produtividade e Maturidade naturais à sua faixa etária.

Inteligente, o Jovem de Talento, devidamente orientado por seu Líder, é capaz de combinar sinergicamente a Intuição (que exige Educação/Cultura) e a Razão, e de perceber, ao mesmo tempo, o bosque e as árvores que constituem a Floresta.

Deve ter uma sólida base moral, a fim de que possa aceitar e praticar os Princípios e Valores da Organização. Deve ser, naturalmente, reflexivo e capaz de discernir, avaliando os Cenários e construindo as Circunstâncias de que necessita, recolhendo e analisando Dados, chegando a Fatos, gerando Atos e promovendo Resultados.

Motivado a oferecer sua contribuição pessoal à Comunidade onde atua interessado em conhecer a Natureza Humana e relacionar-se com outros Seres Humanos, esse Jovem deve ser capaz de comunicar–se, de reagir positivamente aos Desafios. Deve ter Iniciativa. Precisa ter Criatividade, capacidade de Mudar e Inovar!

O bom desempenho escolar pode ser um dos Indicadores de Talento, vez que denota Disciplina, força de Vontade e zelo do Jovem no cumprimento de suas Tarefas; mas, jamais pode ser entendido como o único e exclusivo Indicador do Caráter, Talento, Iniciativa, Vocação e Motivação do Jovem que a Organização necessita para construir seu Futuro.

Os Currículos não são tudo. A Experiência de Vida também é importante. Essa Experiência fará desse Jovem o Agente de seu próprio Destino!

Por conta dessas características, o Jovem de Talento sempre foi, é e haverá de ser aquele Profissional e Ser Humano diferente de que toda Empresa carece para construir o Futuro, em cada etapa de sua Evolução histórica.

Cada Programa de Ação na Odebrecht têm um único Responsável por Resultados num determinado Prazo e com um determinado Custo, visando à satisfação plena do Cliente sob sua Responsabilidade. Todo Programa de Ação tem um Cliente específico, com suas características e necessidades. NO: gl 25.10.10 Arq.(M-10) Resposta Monografia.  

Os melhores investimentos nas pessoas são os bons exemplos como as atitudes e os comportamentos. Os desafios não estão no trabalho em si, mas em você, que é responsável pelas ações para manter e assegurar o ambiente de trabalho e o sucesso organizacional.

“A tarefa mais nobre do líder, à qual ele deve empenhar-se com maior satisfação é desenvolver – nos jovens de talento – o gosto pela liberdade disciplinada, com responsabilidade, bem como a vontade de fazer acontecer e de impor sua marca sobre os acontecimentos”.   Norberto Odebrecht.

 ALDERICO SENA, ESPECIALISTA EM GESTÃO DE PESSOAS -  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Alderico Sena

Como Ex-Superintendente e fundador do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado da Bahia, SESCOOP/BA, da Federação dos Sindicatos das Cooperativas dos Estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Santa Catarina (FECOOP/SULENE) e da Confederação Nacional das Cooperativas - CNCOOP, tenho a grata satisfação de prestar uma singela homenagem ao SESCOOP/BAHIA pela passagem dos seus 15 (quinze) anos de fundação, cooperando de forma direta com o crescimento e o desenvolvimento econômico social e cultural da Bahia e do Brasil.

 O SESCOOP- Serviço Nacional de Aprendizagem do Estado da Bahia foi implantado em 1º de Novembro de 1999, sob a gestão da primeira Diretoria Executiva conduzida pelo Dr. Orlando Colavolpe Presidente e Alderico Sena Superintendente.

O SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo é uma instituição sem fins lucrativos, integrante do Sistema “S” que tem como objetivo o desenvolvimento do cooperativismo. A criação do SESCOOP a nível Nacional ocorreu através da Medida Provisória 1715 de 1998 e regulamentado pelo Decreto 3017 de 1999 foi uma conquista do Sistema como instrumento de educação dos cooperados, empregados e dirigentes de cooperativas para que venham interagir no mercado globalizado em igualdade de condições.

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP é uma entidade que tem como objetivo regimental a capacitação, o monitoramento e a promoção social, dos cooperados, empregados de cooperativas e de seus familiares. As atividades de formação cooperativista empreendem a construção de uma identidade do cooperado que atenda a uma nova forma socioeconômica de ser, através da educação, treinamento e informação.

Seus objetivos são: Organizar, administrar e executar o ensino de formação profissional, a promoção social dos empregados de cooperativas, cooperados e de seus familiares, e o monitoramento das cooperativas em todo o território nacional; Operacionalizar o monitoramento, a supervisão, a auditoria e o controle em cooperativas; Assistir as sociedades cooperativas empregadoras na elaboração e execução de programas de treinamento e na realização de aprendizagem metódica e contínua; Estabelecer e difundir metodologias adequadas à formação profissional e promoção social do empregado de cooperativa, do dirigente de cooperativa, do cooperado e de seus familiares; Exercer a coordenação, supervisão e a realização de programas e de projetos de formação profissional e de gestão em cooperativas, para empregados, associados e seus familiares; Colaborar com o poder público em assuntos relacionados à formação profissional e à gestão cooperativista e outras atividades correlatas; Divulgar a doutrina e a filosofia cooperativistas como forma de desenvolvimento integral das pessoas e Promover e realizar estudos, pesquisas e projetos relacionados ao desenvolvimento humano, ao monitoramento e à promoção social, de acordo com os interesses das sociedades cooperativas e de seus integrantes.

As origens dos recursos para o SESCOOP são das cooperativas que recolhem para o INSS, através da GEFIP com um valor de 2,5% sobre a folha de pagamento dos seus empregados. O SESCOOP Nacional recebe recursos do Governo Federal, repassados pelo INSS, referente à contribuição social das cooperativas brasileiras; O SESCOOPestadual planeja as atividades de capacitação, monitoramento e promoção social, a partir das demandas das cooperativas locais; o SESCOOP Nacional aprova monitora e avalia os resultados alcançados; os recursos são repassados aos SESCOOPS Estaduais, proporcionalmente às contribuições de 2,5% feitas pelas cooperativas do estado sob a folha de pagamento de empregados e mediante apresentação de um Plano Anual de Trabalho – PAT; O SESCOOP Estadual presta contas ao SESCOOP Nacional que consolida as prestações de contas, encaminhando-as para o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE e o Tribunal de Contas da União – TCU. O SESCOOP é também auditado pela Controladoria Geral da União - CGU, pela auditória interna, a independente externa do SESCOOP Nacional e pelo Conselho Fiscal estadual.

O cooperativismo baiano conquistou espaços bastante significativos, em nível Nacional devido à seriedade e o comprometimento com os objetivos da Instituição, como por exemplo: Ser referência do cooperativismo do Norte e Nordeste; Aumento do volume de recursos orçamentários para investimentos na formação profissional dos cooperados, dirigentes, empregados e de seus familiares; Assento no Conselho Administrativo e Fiscal do SESCOOP Nacional e da OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras – Brasília-DF; a Presidência da Federação das Organizações das Cooperativas do Sudeste e Nordeste – FECOOP/SULENE e a Vice Presidência da Confederação Nacional das Cooperativas – CNCOOP.

O Sistema Cooperativo da Bahia na gestão de Orlando Colavolpe e Alderico Sena, promoveu equilíbrio tanto entre eficiência econômica e eficácia social, quanto entre independência individual e interdependência coletiva, e geraram desenvolvimento e equitativa distribuição de renda e felicidade aos cooperados, dirigentes, empregados das cooperativas e seus familiares 

Finalizo este artigo agradecendo de público a cooperação recebida da Imprensa e do Dr. Norberto Odebrecht na revitalização  do Sistema Cooperativo baiano, quando da minha gestão a frente da  OCEB – Organização das Cooperativas do Estado da Bahia.

Se todos cooperarem construiremos um Brasil melhor! PARABÉNS!

Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Ex-Superintendente do SESCOOP – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado da Bahia e da OCEB – Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia  

Por Maristela Duarte – São Paulo/SP

Com o avanço da medicina e da tecnologia, muitas doenças passaram a ser tratadas de forma mais adequada, rápida e com mais eficiência. A partir disso, os profissionais da área da saúde buscam cada vez mais opções que auxiliem em tratamentos e no avanço do quadro de cada internado ou doente.

Desse modo, a fisioterapia domiciliar foi uma das áreas escolhidas e encontradas para facilitar o dia a dia do paciente e ainda trazer resultados para a melhoria de cada um. Isso porque, a fisioterapia é uma área da saúde que cuida de pós-cirurgias, doenças e até mesmo é capaz de curar, prevenir e reabilitar.

A fisioterapia domiciliar, como o próprio nome já diz, acontece na casa dos pacientes, sendo conhecida também como home cara. Os métodos são direcionados para quem possui incapacidades e limitações, assim como, no processo patológico. As terapias são realizadas de acordo com a necessidade do paciente e os profissionais vão até o local em que o paciente reside para realizar o tratamento, o que traz muitos benefícios à pessoa.

Por que optar pelo tratamento home care?

A fisioterapia home care é indicada em vários casos e situações, isso porque essa área da saúde atinge diversos segmentos, entre eles, destinados a gestantes, crianças, idosos e as questões neurológicas, oncológicas e motoras.

Existem muitas razões para optar pela fisioterapia domiciliar, já que são muitas as vantagens oferecidas por ela. Entre as principais, destacam-se as seguintes:

  •          Conforto e bem-estar;
  •          Atendimento personalizado;
  •          Técnicas manuais e equipamentos e aparelhos para realização de exercícios, assim como, medidas;
  •          Diminuição dos riscos de infecções hospitalares, assim como, de custos
  •          Participação e convivência familiar

Vale ressaltar que os pacientes e os profissionais podem aprimorar ainda mais o tratamento através da tecnologia, pois o fisioterapeuta consegue acompanhar os exercícios do cliente a partir do aplicativo FitnessBuilder. Trata-se de um programa onde é possível estabelecer comunicação via vídeo para que consigam aprimorar os exercícios e tudo seja realizado da melhor forma possível.

Sendo assim, o tratamento faz com que os pacientes fiquem mais otimistas e, principalmente, se esforcem mais já que contam com o apoio da família e do profissional para que consigam melhorar os resultados a cada consulta. 

Independente do ramo de atividade que sua empresa possui, seja ela prestadora de serviços ou não, desde 13/10/14 com a publicação do Decreto 25.406/14, todas as pessoas jurídicas, os condomínios residenciais e comerciais estão obrigados a emitir a nota fiscal do tomador de serviço eletrônica – NFTS-e ao contratarem serviços de estabelecimentos situados fora do município de Salvador, de empresas que não emitam nota fiscal ou quando o prestador de serviço contratado for um devedor contumaz pela legislação soteropolitana.

A Lei 7.186/06 já previa a obrigatoriedade da sua utilização, entretanto havia necessidade de regulamentação, que conforme o artigo 108, parágrafo quarto, definiria os tomadores e os intermediários sujeitos à sua emissão. Trata-se, em princípio, de uma obrigação acessória imputada a todas as empresas de Salvador, uma vez que decorre da legislação tributária e tem por objeto uma prestação positiva, nela prevista no interesse da arrecadação ou da fiscalização de tributos.

Quando o contribuinte deixa de cumprir uma obrigação acessória, pelo simples fato da sua inobservância, ela converte-se em principal relativamente a penalidade pecuniária, sendo o sujeito passivo da obrigação acessória a pessoa obrigada às prestações que constituam seu objeto. Já a compulsoriedade de pagar tributo ou penalidade pecuniária pela ocorrência de um fato gerador chama-se obrigação principal que nada mais é do que uma situação definida em lei como necessária e suficiente à sua ocorrência.

O sujeito passivo da obrigação principal (de pagar) pode ser o contribuinte, aquele que tenha relação pessoal e direta com a situação que constitua o respectivo fato gerador, ou o responsável, aquele que sem revestir a condição de contribuinte, sua obrigação decorra de disposição expressa de lei. O fato é que o valor devido a título de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISS não pago ou pago a menor pelo tomador ou intermediário de serviço, quando responsável tributário, relativo à NFTS-e emitida, será enviado para inscrição na Dívida Ativa do Município, mais os acréscimos legais devidos, na forma, prazo e condições estabelecidos pela Secretaria Municipal da Fazenda.

O que isso quer dizer? Todos são obrigados a emitir NFTS-e ainda que não haja obrigatoriedade de retenção na fonte do ISS, entretanto existirão casos em que o contratante na condição de responsável por substituição tributária será obrigado a emitir a NFTS-e e a promover a retenção e recolhimento do imposto correspondente a ela. Ou seja, além do cumprimento da obrigação acessória, terá também que arcar com a obrigação principal na qualidade de sujeito passivo por responsabilidade. Do contrário, ele poderá ser notificado pelo fisco e terá que arcar com uma multa equivalente a 60%(sessenta por cento) do valor do imposto devido, observada a imposição mínima de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais), se deixar de emitir ou o fizer com importância diversa do valor dos serviços ou com dados inexatos.

Para o tomador de serviços não obrigado à retenção e recolhimento do imposto que deixar de emitir a NFTS-e ou o fizer com importância diversa do valor dos serviços ou com dados inexatos a multa a ser aplicada será de R$ 274,00 (duzentos e setenta e quatro reais), por documento. O Microempreendedor Individual - MEI, optante pelo sistema de recolhimento em valores fixos mensais dos tributos abrangidos pelo Simples Nacional – SIMEI, está desobrigado da emissão da NFTS-e. Desta forma, fica patente que sendo ou não contribuinte do ISS de Salvador, todas as pessoas jurídicas aqui estabelecidas estão obrigadas a partir de agora a emitir a nota fiscal do tomador de serviço eletrônica – NFTS-e nas condições previstas acima.

Karla Borges

Professora do Núcleo de Estudos Tributários - NET

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.m

Sérgio Passos

Já no século XIX, o Conselheiro profetizava que o mar iria virar sertão e que o sertão viraria mar. Tal profecia acabou sendo eternizada na magistral composição musical de Sá e Guarabira – “Sobradinho”. A constatação de que o sertão viraria mar quando da construção das barragens, que cobririam várias cidades ribeirinhas na Bahia. Algo parecido já ocorrera com a velha Canudos, palco da “Guerra” que leva o mesmo nome, com a construção de uma barragem. A Barragem do Açude de Cocorobó, no Rio Vaza Barris, de vital importância para a região.

Mas, do que eu quero falar mesmo é da ­seca que está ameaçando o sudeste do nosso país, com a falta de chuvas que vem esvaziando o conjunto de reservatórios que abastecem a cidade de São Paulo, e outros que abastecem outras grandes cidades paulistas; acredito que este sintoma denuncie uma doença muito mais grave e que já está acontecendo, a consumir o organismo vivo que é o nosso planeta Terra.

Cabe a nós, seres humanos, interpretarmos e tomarmos as providências necessárias para a nossa própria sobrevivência e do planeta, redirecionando o nosso modo de viver, procurando de todas as maneiras possíveis preservar e recuperar o meio ambiente, para que possamos salvar a Terra, ou se não, ao menos prolongar a lenta “agonia”.

 Furacões, tornados, terremotos, geadas, secas, sempre existiram, mas não com tanta intensidade como agora, e respeitando as características geográficas que os motivariam.  Diferentemente de hoje, que ocorrem em  qualquer canto e lugar. Infelizmente, sinto que os “homens” estão contribuindo de forma inexorável para o cumprimento da profecia bíblica, de que no “final dos tempos, a terra terminaria em fogo”.

 Ah!, volto agora com um adendo de que foi dada uma notícia importante, porém sem grande visibilidade: A nascente primordial do Rio São Francisco secou !

Ao invés do precoce projeto de transposição do Velho Chico, não teria sido melhor, antes, recuperar as suas nascentes e dessassoreá-lo, para que ele recuperasse a sua vazão hídrica e histórica? 

 Abram os olhos, ainda há tempo!

Sérgio Passos é médico e presidente estadual do PSDB na Bahia.


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




banner adv