Foto: Jefferson Peixoto/Secom

A alta estação 2019/2020 em Salvador deve atrair cerca de 3,6 milhões de turistas e visitantes, de acordo com a estimativa da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult). Para auxiliar as pessoas que vêm de diversos lugares do país e do mundo para conhecer ou voltar a apreciar a história e as belezas da primeira capital do Brasil, a Guarda Civil Municipal possui o Grupamento de Apoio ao Turista (GAT), com atuação reforçada em um dos locais mais visitados na cidade: o Centro Histórico.

Além da proteção ao patrimônio, o GAT também realiza o monitoramento da área. Com efetivo composto por 61 agentes, o grupamento possui base fixa na Rua Gregório de Matos, no Pelourinho, e oferta orientações sobre os mais variados temas, a exemplo de como encontrar uma agência de turismo, bancos, delegacia, terminal marítimo, correio, ponto de ônibus ou informações sobre como andar em segurança e os principais atrativos turísticos do Centro Histórico.

Conforme o supervisor do GAT, Tiago Machado, todo o efetivo é bilíngue, o que diferencia na prestação de atendimento aos estrangeiros. “Os profissionais são qualificados de forma contínua participando de cursos específicos como inglês instrumental e legislação aplicada ao turismo, além dos conhecimentos gerais relacionados à atuação de guardas civis”, explica. Em eventos específicos que ocorrem durante o verão, como as festas de largo, o GAT intensifica as ações dando suporte com efetivo maior, colocando à disposição dos turistas a base móvel.

Sensação de segurança – Com a chegada do navio de cruzeiro MSC Seaview no Porto de Salvador na manhã desta terça-feira (14), o fluxo de visitantes na região do Centro estava mais intenso. A advogada Marcela Freitas, 34 anos, veio do Rio de Janeiro e aproveitou para conhecer o Pelourinho e buscar um local para almoçar. Ela avaliou positivamente a presença dos guardas municipais na região. “Além de nos auxiliar com informações, a presença deles nos dá sensação de segurança não só no quesito violência, mas por saber que podemos contar com pessoas qualificadas para ajudar”, disse.

Para diminuir a vulnerabilidade dos excursionistas, Machado alerta para que os turistas solicitem informações apenas a profissionais devidamente identificados e transitem apenas por ruas principais e evite carregar muitos objetos de valor. “São dicas importantes que diminuem a vulnerabilidade quando estiverem no momento de lazer e, consequentemente, diminui também o número de ocorrências”, frisou.



Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



banner adv