Foto: Antonio Queirós/Divulgação

Na 104ª sessão ordinária realizada este ano pela Câmara Municipal de Salvador, nesta quarta-feira (13), os vereadores aprovaram 52 proposições legislativas, sendo 3 projetos de lei, 22 de indicação, 5 de resolução,18 requerimentos e 4 moções. O vereador Cezar Leite (PSDB) fez questão de parabenizar o presidente da Casa, Geraldo Júnior (SD), pela produtividade da atual legislatura e pela condução dos trabalhos: “E ainda estamos em meados de novembro, falta muitas sessões até o final do ano. O que quer dizer que dificilmente este recorde de sessões e projetos votados será batido”.
Geraldo Júnior agradeceu e dividiu com todos os vereadores o mérito pela produtividade da Câmara. Vários vereadores se associaram e também destacaram o empenho do presidente para que a meta seja alcançada. 

Pai de Carballal

Entre os projetos de lei aprovados estava o que dá o nome do pai do vereador Henrique Carballal (PV), Miguel Carballal, a uma praça no bairro de Valéria, por iniciativa do presidente Geraldo Júnior. O autor ressaltou que “este ano o homenageado, que lutou na guerra civil espanhola, completaria 100 anos se estivesse vivo. Uma homenagem mais do que justa”.
Foram aprovados também os projetos de lei nº 303/2019, de Hélio Ferreira (PCdoB), que permite acessibilidadeàs pessoas obesas no transporte coletivo, e o nº 115/2019, de José Trindade (sem partido), que prevê isenção de impostos às empresas júnior.
Por sugestão da vereadora Aladilce Souza (PCdoB), o presidente Geraldo Júnior pediu um minuto de silêncio em pesar pelo falecimento do servidor Edvaldo França Barreto de Souza, lotado no setor de Transporte. O sepultamento será realizado na quinta-feira (14), às 10h, no Cemitério do Campo Santo.

Racismo - Os vereadores Moisés Rocha e Marta Rodrigues, ambos do PT, e Sílvio Humberto (PSB) denunciaram o ato de racismo sofrido pelo militante petista Roque Peixoto, agredido na terça-feira (12) à noite, após participar de evento na Câmara Municipal, por funcionários do bar Mais Amado, localizado no bairro do Rio Vermelho. “Temos que dar resposta boicotando esse bar, porque não podemos admitir uma atitude dessa em uma cidade de maioria negra”, sugeriu Sílvio.
Moisés completou citando dois casos de racismo e intolerância religiosa envolvendo motoristas de aplicativo nos últimos dias: “Ontem (terça) a vítima foi Negra Fran, que estava com vestes brancas por questão religiosa. O que mostra que foi acertada a decisão desta Casa em manter o veto à foto do passageiro nas plataformas de aplicativos. Se na presença da pessoa estão se recusando a conduzir, quanto mais visualizando a foto antes de aceitar a corrida”.
O vereador Joceval Rodrigues (Cidadania) propôs que o presidente Geraldo Júnior “lidere uma corrente contra o preconceito racial em nossa cidade”.


Prefeitura de Salvador

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



banner adv