• Eduardo Martins | Ag. A TARDE

Homologado como candidato do PSOL ao Senado no último dia 14, Hamilton Assis aposta na sua trajetória como ex-candidato a presidente da República e a prefeito de Salvador para enfrentar seus adversários. Representante do segmento afrodescendente na corrida eleitoral de 2014, Assis promete levantar a questão durante os debates.

O que falta ser discutido durante o processo eleitoral e dentro do Senado que o PSOL acredita que deve vir à tona nesse período?
Um debate sobre a dívida pública. Nós consideramos que, em grande parte, os nossos problemas ocorrem em função dessa política econômica que o governo tem desenvolvido, que favorece exclusivamente o setor financeiro. Então, por exemplo, hoje a nossa dívida pública consome cerca de quase 42% anual do nosso Orçamento, enquanto que você gasta para as questões relacionadas à saúde, educação, habitação e segurança pouco mais de 10% do orçamento anual. E a despesa com o pagamento de juros e dividendo da dívida é maior do que a despesa com a Previdência Social. Isso é um absurdo. Há um problema no debate que se faz sobre a questão do Bolsa Família, que é um exagero, que é um paternalismo, e o pagamento da dívida consome mais de 40% do Orçamento e vira uma "bolsa banqueiro", que acaba engordando o cassino da incorporação financeira. Mesmo num país em crise, com muita dificuldade, quem mais lucrou foram os bancos. Vamos fazer esse debate, de como fazer essa redistribuição, porque parte dessa dívida poderia ser investido em infraestrutura e para ajudar a pagar a dívida social desse país. Leia a íntegra da entrevista no A Tarde.


Prefeitura de Salvador

banner adv

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player