Nove tremores de terra são identificados em Jacobina, interior da BA, nas últimas 48h

Nove tremores de terra foram identificados em Jacobina, município ao norte da Bahia, na quarta (12) e nesta quinta-feira (13). Segundo o Laboratório Sismológico (LabSis), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o maior tremor teve magnitude preliminar de 2.4.

Não há informações sobre moradores da região terem escutado ou sentido os eventos.

Além dos tremores registrados nas últimas 48h, outros dois aconteceram no último domingo (9), com magnitudes de 2.1 e 2.0.

Em junho e julho de 2021, a cidade também registrou eventos similares, com magnitudes de 1.8 mR.

Confira lista completa dos tremores na cidade:

  • 9/01/2022 – 23h51 UTC – magnitude preliminar 2.1
  • 9/01/2022 – 23h54 UTC – magnitude preliminar 2.0
  • 12/01/2022 – 22h51 UTC – magnitude preliminar 1.8
  • 12/01/2022 – 23h18 UTC – magnitude preliminar 1.5
  • 13/01/2022 – 0h28 UTC – magnitude preliminar 1.7
  • 13/01/2022 – 0h30 UTC – magnitude preliminar 1.1
  • 13/01/2022 – 0h33 UTC – magnitude preliminar 1.3
  • 13/01/2022 – 0h36 UTC – magnitude preliminar 2.4
  • 13/01/2022 – 0h43 UTC – magnitude preliminar 1.4
  • 13/01/2022 – 01h08 UTC – magnitude preliminar 1.4
  • 13/01/2022 – 01h28 UTC – magnitude preliminar 1.1

Com informações do G1-BA

Abaixo nota divulgada pela mineradora em Jacobina:

Jacobina Mineração/Yamana Gold – JMC tomou ciência, através do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis), sobre os eventos sísmicos ocorridos esta semana em Jacobina. Importante lembrar que a JMC segue realizando monitoramento regular e inspeções diárias das suas barragens. Estas atividades são realizadas por equipes especializadas. Após inspeções geotécnicas realizadas nas barragens hoje (13/1), não foram identificadas anomalias ou alterações em decorrência dos eventos sísmicos ocorridos. A avaliação dos instrumentos de monitoramento também não indicou alterações e continuam com leituras normais.

As barragens continuam seguras, operando normalmente e com declaração de condição de estabilidade validada junto à Agência Nacional de Mineração (ANM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *