Para ampliar o mercado consumidor agricultores familiares de Ilhéus se capacitam para produzir cacau de qualidade 

Buscando melhorar a produção e ampliar o mercado consumidor agricultores e agricultoras familiares do Assentamento União e Trabalho, vinculado à Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopessba), em Ilhéus, Território Litoral Sul, iniciaram, nesta segunda-feira (12), o curso “Cacau de Qualidade”, por meio do Projeto Bahia Produtiva, executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), via Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A capacitação vai até sábado (16), com aulas sobre Mercado, Identificação Geográfica, Práticas de Colheita, Seleção de Frutos, maturação pela amêndoa, manejo e poda, todo o processo inerente à produção e comercialização do cacau de qualidade.

A Coopessba participa do edital Alianças Produtivas Territoriais, com aplicação de R$ 2,5 milhões, que tem como principal objetivo a efetivação de parcerias comerciais qualificadas entre a agricultura familiar e o setor privado, para garantir acesso a mercados mais competitivos.

O Assentamento União e Trabalho conta com investimentos em estufa, cochos, maquinário agrícola, adubo orgânico e cursos de capacitação, além de assistência técnica e extensão rural (Ater) da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR). As famílias do assentamento receberam também, mais de 11 mil mudas de cacau da Biofábrica da Bahia, que já foram plantadas e já estão sendo clonadas para começarem a produzir em até três anos, que deverão ser utilizados na produção de amêndoas de cacau de qualidade.

O que diferencia o cacau de qualidade, que chega a demorar 15 dias para ficar pronto, é uma série de fatores que inclui secagem e separação dos frutos bons.

Os frutos selecionados são levados ao cocho para fermentar de cinco a sete dias. Nesse processo, são ressaltadas as melhores notas do cacau e o fruto vai de semente para a amêndoa. E assim é realçada a qualidade do cacau, que vai ser usado na produção de chocolate, sem o uso de aditivos para melhorar o seu gosto.

Esse é um mercado promissor, com destaque especial para os movimentos Bean to Bar (do grão à barra) e Tree to Bar (da árvore à barra), que estão em evidência no mundo, inclusive no Litoral Sul da Bahia, cuja produção do cacau de qualidade tem conquistado reconhecimento em várias partes do mundo, como foi evidenciado no Salão Internacional do Chocolate, em Paris, no último ano.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.