Policial Militar mata seis familiares e depois tira a própria vida no Paraná

O policial militar Fabiano Júnior Garcia, 37 anos, matou oito pessoas, sendo seis familiares dele, e depois tirou a própria vida entre a noite de quinta-feira, 14, e madrugada desta sexta-feira, 15, em Toledo e Céu Azul, cidades da região oeste do Paraná. A informação foi confirmada pela Polícia Militar do Paraná (PM PR) e pela Polícia Civil do Paraná (PC PR) ao Terra.

Entre as vítimas, estão dois filhos do policial (de 4 e 9 anos), uma enteada (12 anos), a esposa (28 anos), a mãe dele (78 anos), o irmão (50 anos) e dois desconhecidos do PM que estavam na rua (um de 17 e outro de 19 anos). Todos foram baleados.

O policial trabalhava no 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo e estava há 12 anos na corporação.

Segundo o comandante-geral da PM PR, coronel Hudson Leôncio Teixeira, o policial trabalhou normalmente na quinta-feira e saiu por volta das 19h. Os crimes ocorreram das 23h às 0h30 e, durante esse período, ele enviou diversas mensagens para os familiares e amigos.

Teixeira afirmou que o PM estava em processo de separação e que esse pode ter sido o motivo para a tragédia. Conforme relatos de colegas, ele também tinha algumas dívidas.

“Não tinha nada que desabonasse a conduta do soldado Fabiano. Ele era um excelente policial, exercia uma função de confiança. Essa situação causou estranheza, surpresa e decepção para toda a corporação”, disse Teixeira.

O coronel ainda afirmou que todo o suporte psicológico está sendo dado para a família. Por meio de nota, a PM PR lamentou o caso e informou que Garcia não tinha histórico de problemas psicológicos.

“A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo (PR) e Céu Azul (PR). O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico que pudesse indicar problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade. Desde dezembro de 2020, a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico e social aos militares e dependentes, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares”, informou.

Também por meio de nota, a PC PR disse que as Delegacias das cidades de Céu Azul e Toledo instauraram inquéritos policias e realizam diligências para apurar a motivação dos fatos. “Perícias foram realizadas nos locais e equipes de investigação seguem na coleta de informações para estabelecer a dinâmica dos fatos”, comunicou.

Fonte: Terra

Foto: Rede Social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.