Prefeitura entrega geomanta em Boa Vista de São Caetano

O bairro de Boa Vista do São Caetano ganhou uma nova geomanta, implantada pela Prefeitura através da Defesa Civil de Salvador (Codesal). Localizada na Rua 22 de Março, a proteção possui 1,8 mil m² de área e beneficia 80 famílias que residem nas imediações da encosta existente na localidade, proporcionando segurança e impedindo que deslizamentos de terra ocorram, principalmente em dias de chuva. A estrutura foi inaugurada durante solenidade simbólica com a presença do prefeito Bruno Reis, acompanhado da vice e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos, e do coordenador de Ações de Contingência da Codesal, Francisco Costa Júnior.

A obra teve investimento de R$251 mil. “Já implantamos em mais de 220 áreas da cidade essa tecnologia de geomanta, que se somam a 110 contenções de encostas definitivas de cortina atirantada e de solo grampeado. Tudo isso com o objetivo de levar mais segurança às famílias, que poderão ter noites de sono com mais tranquilidade”, destacou o prefeito.

Formada por um composto de PVC e geotêxtil com cobertura de argamassa jateada, a nova geomanta de Boa Vista do São Caetano é capaz de impermeabilizar o talude evitando absorção de águas da chuva e, com isso, o risco de erosões e deslizamentos. Essas soluções são mais práticas e menos custosas em comparação às contenções de encostas tradicionais, sendo extremamente seguras e sempre passam por manutenção cotidiana. 

Morador da Rua 22 de Março, o pedreiro Eduardo Teles, de 29 anos, conta que a encosta ao lado da casa dele era motivo de constante preocupação. “Era muito mato, lixo, rato e até cobra. Em uma das chuvas, parte do barro desceu e destruiu o banheiro de uma das casas que fica na parte de baixo. Minha mãe e eu chegamos a nos mudar provisoriamente para casa de outro familiar com medo de uma tragédia. Depois dessa obra melhorou bastante a situação. Não temos mais receio de desabamento”, relatou.

Prevenção – A intervenção integra a estratégia de ações preventivas desenvolvidas ao longo do ano pela Codesal, dentro da Operação Chuva que ocorre entre março e junho, período em que historicamente ocorre o maior volume de precipitações na capital baiana. “Todas as obras são importantes e representam benefícios para a população, mas têm algumas com importância muito maior, a exemplos das geomantas e contenções, porque protegem a vida”, assegurou Bruno Reis.

Ele citou o último censo do IBGE que apontou que Salvador possui mil pontos de risco para deslizamento de terra. “Em oito anos e cinco meses protegemos 30% dessas áreas. Se esse trabalho tivesse sido feito por outros governantes talvez não teríamos mais áreas de risco na cidade”, frisou o chefe do Executivo municipal, acrescentando que a capital baiana está cada vez mais preparada para lidar com as chuvas.

Fotos: Betto Jr./Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *