Presidente Adolfo Menezes reduz acesso à ALBA a partir de segunda

Preocupa – muito – ao deputado Adolfo Menezes a atual escalada de disseminação do coronavírus, que pressiona de tal maneira os serviços públicos e privados de saúde a ponto de colapso ser uma possibilidade, caso a população não se conscientize e faça a sua parte. No exato momento em que entram em vigor medidas excepcionais, como o toque de recolher na maior parte da Bahia, ele considera um dever restringir ainda mais o acesso ao Parlamento e já determinou à Superintendência de Recursos Humanos o imediato incremento do trabalho remoto, reduzindo ao mínimo as atividades que requeiram presenças de funcionários na ALBA. A circulação de pessoas no local será ainda mais restringida a partir de segunda.

De igual modo, solicitou aos deputados que minimizem a quantidade de assessores em seus gabinetes, bem como o atendimento externo. Para o deputado Adolfo Menezes, as próximas semanas serão cruciais para a contenção da pandemia e, sem o concurso de todos, esse prazo será alargado e o sofrimento de todos ampliado, com internações e óbitos evitáveis. Ficar em casa, frisa, não é vacina, “mas é a melhor prevenção que a ciência encontrou para deter esse flagelo inédito, até que o ritmo de vacinação aumente e imunize nossa gente, pois as autoridades não podem tudo. O governador Rui Costa, o prefeito Bruno Reis e tantos outros prefeitos têm cortado na carne, trabalhado duro; mas sem a compreensão e o apoio de todos, a provação será ainda maior”.

Fotos: Divulgação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *