Primeiras semanas de junho serão de chuva em Salvador

O inverno começa no dia 21 de junho, mas a capital baiana já começou o mês com chuva. A previsão meteorológica é de tempo instável nesta primeira semana do mês. As temperaturas neste período devem variar entre 22°C (mínima) e 29°C (máxima).

Até o momento, de acordo com o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), Caminho das Árvores foi o bairro que registrou o índice mais alto, com acumulado de 63,8 mm, seguido de Saramandaia, com 62,2 mm em 72 horas. A estimativa de acumulados na capital para o mês é de 245,6 mm.

Na quinta-feira (3), feriado de Corpus Christi, a previsão é de nebulosidade com abertura de sol e chuva isolada em alguns momentos do dia. A previsão para esta semana é de céu nublado a parcialmente nublado, com períodos de chuva forte, a qualquer hora do dia, com risco para alagamentos e deslizamentos de terra.

As ocorrências que envolvem desabamentos, deslizamentos, queda de árvores e muros, dentre outras, podem ser registradas no plantão da Codesal, durante 24 horas, todos os dias da semana. As solicitações podem ser efetuadas pelo telefone gratuito 199.

Ações preventivas – A Prefeitura, por meio da Defesa Civil, realiza uma série de ações para prevenção de transtornos no período de chuva. Desde 2016, o órgão já aplicou a tecnologia da geomanta em 210 áreas da cidade, para diminuir os riscos de deslizamentos de terra e contribuir para a preservação da vida dos cidadãos.

Também foram capacitados quase 2,5 mil voluntários, distribuídos em 58 Núcleos de Proteção e Defesa Civil (Nupdec), para lidar com situações de emergência. O trabalho teve início em 2016 e já contemplou comunidades como Calabetão, Villa Picasso, Baixa de Santa Rita e Ilha de Bom Jesus dos Passos. Na semana passada, foram capacitadas sete pessoas na comunidade Dom Lucas, em Castelo Branco.

Já o Projeto Casarões, que faz o monitoramento de imóveis antigos, contabiliza 1.384 imóveis na base de dados da Defesa Civil. Com o intuito de preservar vidas, as vistorias técnicas são realizadas a partir da avaliação de risco geológico ou construtivo, de forma a prevenir, proteger e preservar o bem-estar dos cidadãos. A maioria dos imóveis está localizada em áreas como o Pelourinho, Baixa dos Sapateiros, Barroquinha, Santo Antônio e Comércio.

Foto: Jefferson Peixoto/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *