“Profecia sobre a isenção do ISS apenas para beneficiar empresários será cumprida com elevação de tarifa”, dispara Sidninho

Resultado de imagem para “Profecia sobre a isenção do ISS apenas para beneficiar empresários será cumprida com elevação de tarifa”, dispara Sidninho"

As declarações do próprio prefeito ACM Neto (DEM) de que em janeiro o aumento da tarifa de ônibus na cidade não está descartado, conforme o líder da oposição na Câmara de Salvador, vereador Sidninho (Podemos),  confirma a ‘profecia’ de que isentar as empresas do setor  do pagamento do  Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), com renúncia de R$ 100 milhões aos cofres municipais, só beneficiou o empresariado e não aos milhares de usuários do transporte público.  

“Além da promessa  de 250 de 1000 ônibus com ar-condicionado não ter sido cumprida, a população que paga impostos tão altos, mais uma vez será penalizada com a elevação da passagem, lembrando que esse ano, todo esse processo se deu, sob a justificativa de poupá-los e não encarecer a tarifa, mas o que vimos é um a realidade totalmente diferente e punitiva para os mais fracos”, frisou Sidninho, lembrando que na ocasião da última majoração [R$ 3,70] a capital baiana passou a ter, junto com Aracaju, que cobra o mesmo valor, a passagem mais cara do Nordeste.

“O reajuste foi de 8,1%, maior do que a inflação oficial do ano passado que ficou em 3,75% e no ano que vem o valor pode chegar  a R$ 4,25 e o que acontecerão com os trabalhadores soteropolitanos: terão que trabalhar a pé, deixar de trabalhar,de colocar o pão na mesa de suas famílias”, questionou o líder da oposição, lembrando ainda que para ter o acréscimo, a prefeitura fez um acordo com os empresários, que se comprometeram a colocar em circulação 2 mil novos ônibus, com ar-condicionado, até 2022, sendo 250 integrados à frota ainda este ano.

“Mas desse total , 51 estão pendentes pelo Consórcio Salvador Norte (CSN) e nada se sabe ao certo sobre essa entrega, cujo prazo máximo era 20 de setembro, mas foi protelado para 31 de dezembro”, lamentou, cobrando repostas ao Executivo municipal e do Ministério Público da Bahia que assinou o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para o cumprimento do acordo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.