Reunião virtual da ALBA, com presença da SEC, discute retorno às aulas remotas na Bahia

‘Queremos garantir o ingresso da maioria da comunidade escolar”, destaca Fabíola
Planejamento de retorno remoto e avaliação da primeira semana de aulas da rede pública foram os temas abordados em reunião virtual, promovida pela  Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). A equipe técnica da Secretaria de Educação do estado – SEC apresentou aos deputados presentes informações detalhadas dos novos programas para a educação na Bahia, lançados recentemente pelo governador Rui Costa. À convite da presidente, deputada Fabíola Mansur, a apresentação foi feita por Cezar Lisboa, chefe de gabinete da SEC, Manuelita Falcão, superintendente de Políticas para a Educação Básica (SUPED) e por Manoel Calazans, da Superintendente de Organização e Atendimento da Rede Escolar – SUPEC.
Na explanação os técnicos destacaram que as primeiras semanas de aulas funcionam como um tempo de boas vindas e adaptação, onde alunos e professores começam a entender e se adaptar a essa outra forma de comunicação. “São dias iniciais onde devemos garantir três fundamentos básicos: viabilização do acesso, que é esse retorno do aluno; a permanência do mesmo, para que ele se comprometa com a frequência às aulas; e a própria aprendizagem, que nesse novo formato precisa ser encarada como a construção de um processo que rompe com a ideia de hora aula, expositiva de 50 minutos. São outros formatos, outras metodologias que contam, e ainda o tempo que esse aluno dedica ao estudo individual”, explica Manuelita.
Para a gestora do SUPED, não se pode esquecer o fato de que estamos vivendo um processo doloroso de perdas de vida, e de renda. “Está sendo feito um esforço grande para evitar a evasão escolar, não só por parte da secretaria, mas também por parte de outros órgãos, para o que chamamos de “busca ativa”, que nada mais é do que o processo de ir atrás do estudante que não retornou. Para restabelecer esse contato vale disseminar informações através de campanhas, com o uso de meios de comunicação, da rádio, e-mail, bilhetes, e até do carro do ovo”, exalta.
A deputada Fabíola Mansur, destacou que mesmo sem quórum inicial para registrar como reunião oficial no Legislativo baiano “não tira a legitimidade do encontro”, uma vez que, logo em seguida do horário regimental estipulado pela ALBA foram registradas na sala do zoom cerca de 50 pessoas, entre elas 13 deputados. “Existem muitas dúvidas e angústias sobre esse retorno remoto que estão sendo sanadas dia a dia, relacionadas às dificuldades de acesso à internet, sobrecarga dos professores, falta de acesso à ferramentas digitais. Todos nós queremos a garantia do ingresso da maioria da população da comunidade escolar”.
A SEC finalizou a apresentação abordando uma gama de recursos educacionais planejados para sanar os gargalos, a exemplo do advento do novo canal digital TV Educa Bahia, dentro da TVE; e a disponibilidade de material didático nas versões digital e impresso. No encerramento foi destacado ainda o “Programa Estado Solidário”, adotado para mitigar os efeitos causados pela pandemia. Entre as ações prioritárias estão: bolsa para 52 mil alunos da rede estadual que queiram atuar como monitores; pagamento de auxílio alimentação; e bolsa de R $150,00 para famílias de alunos da rede estadual que estão no CadÚnico.
O encontro contou com as presenças  dos deputados Hilton Coelho (PSOL), Jacó (PT), Fátima Nunes (PT), Tiago Correia (PSDB), Bira Corôa (PT) Rosemberg Pinto (PT) Robinson Almeida (PT), Olívia Santana (PC do B), Jurandy Oliveira (PP), Bira Coroa (PT), Osni Cardoso (PT), Maria del Carmen (PT) e Marquinho Viana (PSB), e do coordenador geral da APLB Sindicato, Rui Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *