Rui Costa incita ataques à Defensoria Pública em relação ao concurso da PM, afirma deputado Hilton Coelho

Para o deputado Hilton Coelho (PSOL) “o governador Rui Costa (PT) chega ao limite da irresponsabilidade a mais uma vez usar as redes sociais e seu programa Papo Correria para incitar a população e a promover ataques contra a Defensoria Pública e contra os defensores que, em ação para garantir os direitos fundamentais das mulheres, entre outras temáticas, conseguiram que o Poder Judiciário suspendesse o concurso para a Polícia Militar da Bahia. Desta vez, o próprio Chefe do Executivo indicou aos cidadãos que criassem uma hashtag e marcassem, pessoalmente, os defensores que elaboraram a ação”.

Para o parlamentar. “é inadmissível que Rui Costa viole a autonomia da Defensoria Pública, que tantos e tão valorosos serviços têm prestados ao povo do Estado, como a atuação em ações individuais de família, ações coletivas em defesa da posse da terra, em defesa da educação e direitos humanos e ações emblemáticas, como a recente conquista da reabertura do Serviço Viver, que havia sido fechado pelo próprio governo estadual”.

“A insistência de Rui Costa em atiçar a população contra a Defensoria, mesmo com as críticas recebidas em sua primeira fala, nos faz questionar o motivo pelo qual o governador utiliza os mesmos métodos de Jair Bolsonaro, que tanto critica. O chefe do Executivo deve valorizar a atuação da Defensoria Pública, fortalecendo a instituição e dando condições para sua expansão para os 417 baianos”, afirma Hilton Coelho que acrescenta “nosso repúdio a mais esta fala desastrada do governador, que cada vez mais se aparenta com o modo de agir de Bolsonaro, incitando a população contra o serviço público e contra servidores”.

Hilton Coelho conclui afirmando que “a Defensoria, instituição mais que fundamental ao acesso à justiça, e o povo da Bahia não merece a pequenez de um governador com este tipo de postura. É lamentável o uso de inverdades por uma autoridade de tamanha importância. Tentar jogar as pessoas que participaram do concurso da PM contra a Defensoria, como se ela fosse a responsável pela liberação dos resultados das provas ou a retomada das etapas suspensas é um ataque que não aceitamos. Manifestamos nossa total solidariedade e apoio à DPE-BA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *