“Entrega de ônibus com ar não pode justificar aumento de tarifa”, brada líder da oposição na Câmara

Resultado de imagem para “Entrega de ônibus com ar não pode justificar aumento de tarifa”, brada líder da oposição na Câmara"

Cogitar qualquer reajuste de tarifa de ônibus em Salvador em meio à entrega de 30 dos 51 ônibus restantes com ar-condicionado é desmoralizar o Ministério Público da Bahia (MP-BA), a Câmara Municipal e todos envolvidos no processo, denuncia o líder da oposição no Parlamento municipal, vereador Sidninho (Podemos). Ele, inclusive, cobra responsabilidade desses órgãos, de forma a barrar qualquer possibilidade de elevação ‘irresponsável e extorsiva’contra os milhares de usuários de um sistema ‘tão caótico’.

“Afinal quando a tarifa foi reajustada para R$ 4, em abril desse ano, a prefeitura assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com os empresários e a anuência do MP e abriu mão do pagamento de Imposto Sobre Serviços (ISS) e Taxa de Regulação, Controle e Fiscalização (TRCF) até dezembro de 2022 e o projeto foi aprovado pela Câmara, que resultará em renúncia de R$ 100 milhões aos cofres municipais”, disparou o vereador.

O que, conforme Sidninho, deixa claro, que diante do acordo a tarifa de ônibus deve se manter em R$ 4 durante todo o período de vigência das isenções.

“E repito, se falar em reajuste é desmoralizar o Ministério Público, a Câmara Municipal e todos envolvidos no processo. Isso, sem falar nas promessas que motivaram o último aumento ainda não cumpridas, que na ocasião da votação na Câmara, o próprio prefeito assegurou que o grande beneficiado seria o cidadão com entrega de quatro mil novos ônibus com ar-condicionado na rota em quatro anos, mas os usuários não tiveram acesso sequer a 250 ainda”, lamentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *