Suíca, Solla e Marighella defendem participação da juventude nas decisões do país durante congresso que elegeu nova direção da Uees

A União Estadual dos Estudantes (Uees) tem uma nova direção eleita em congresso com a participação dos políticos baianos Luiz Carlos Suíca e Maria Marighella, ambos vereadores do PT em Salvador, e do deputado federal Jorge Solla (PT-BA). Uelinton Jorge, de 21 anos, assume pelos próximos dois anos a presidência da entidade estudantil. O baiano de Heliópolis e estudante de Ciências Sociais da Ufba foi eleito no último domingo (19) durante plenária final do congresso dos estudantes – que movimentou a capital baiana, no Colégio Estadual Manoel Devoto, desde a sexta (17). Esse encontro reuniu estudantes secundaristas e universitários dos 27 territórios do estado, eleitos para deliberar sobre pautas como análise de conjuntura política, educação e direitos das juventudes.

Em atividade no congresso, o vereador Suíca falou da importância e do papel da juventude nas trincheiras de lutas e reivindicações por democracia e direitos. “Acredito é na rapaziada, pois é essa juventude que nunca fugiu da raia e sempre esteve na vanguarda em defesa da democracia, que sempre esteve nas ruas lutando por mais direitos. Nosso mandato sempre esteve à disposição para essa estudantada na Câmara quando derrotamos a tentativa de retirada da meia passagem na pandemia, quando indicamos e aprovamos nas comissões o fim da revalidação do SalvadorCard, quando aprovamos a vacinação para a rede municipal de ensino. Minha voz foi o que essa turma, que se organiza em todo canto desse estado, reivindica, principalmente para o momento desafiador que é derrotar Bolsonaro e todo o seu governo do ódio nas próximas eleições. É a juventude a peça principal desta vitória do povo elegendo Lula para presidente”, enfatiza o edil.

Durante três dias, estudantes debateram e analisaram a situação da educação, estabelecendo críticas e acertos da Secretaria de Educação do governo Rui Costa (PT), definiram agendas de mobilizações e campanhas de combate à LGBTFobia, ao machismo e ao racismo, e defenderam a educação de qualidade e democrática. A Uees vai começar uma campanha em defesa da eleição direta para diretores e vices na rede estadual de ensino, o combate aos cortes da educação entre outras pautas. A estudante Débora Nepomuceno, que presidiu a entidade nos últimos anos, apontou a luta, principalmente para sobreviver à crise sanitária. “Mesmo com a pandemia e tantas restrições, não deixamos de construir a luta dos estudantes. Saímos das salas presenciais e fomos para a militância virtual atendendo todas as demandas e fazendo reivindicações, como foi destacada a luta pelo vale-alimentação na rede estadual, a redução dos 30% no valor das mensalidades na rede privada superior e o combate diário aos cortes na educação feito pelo Bolsonaro”, pontua Débora.

A vereadora Maria Marighela, vestida com a farda do colégio estadual Carlos Marighela, destacou a luta política no país principalmente no enfrentamento às práticas ditatoriais do governo de Bolsonaro e relembrou conquistas importante como a retirada dos nomes de presidentes da ditadura militar da fachada das escolas da rede estadual. Já o deputado federal Jorge Solla relatou a importância da organização do movimento estudantil e o enfrentamento diário no Congresso a todos os ataques e cortes na educação, principalmente nas universidades e institutos federais. Ele destacou também a sua participação na defesa e garantia da vacinação em massa da população contra a covid.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.