Trabalho em equipe na medicina se consolida como tendência

Na medicina, algumas tendências são notórias e vieram para ficar: personalização e humanização do atendimento; prontuários eletrônicos armazenados na nuvem; procedimentos minimamente invasivos, a exemplo da cirurgia robótica; monitoramento remoto e em tempo real; telemedicina e uso da inteligência artificial são alguns bons exemplos disso. Outra mudança relevante da área diz respeito ao agrupamento de médicos de diferentes especialidades que, atuando juntos em parceria, ampliam resultados positivos não só para a categoria, mas sobretudo para os pacientes. Neste cenário, a cooperação entre médicos e a formação de grupos como o Robótica Bahia – Assistência Multidisciplinar em Cirurgia e o Grupo de Uro-oncologia da Bahia (Gruoba), entre tantos outros, favorecem a promoção da tríade saúde, qualidade de vida e bem estar, tão relevante para a sociedade. 

A união de médicos para o alcance de propósitos convergentes através da formação de grupos é cada vez mais frequente e isso não é por acaso. De acordo com o uro-oncologista Augusto Modesto, que integra alguns desses grupos, esta cooperação traz crescimento para todos os participantes e, sobretudo, para os pacientes. Como exemplo desta realidade, ele cita o Gruoba, integrado por diferentes especialistas baianos que atuam na prevenção, diagnóstico e tratamento de tumores urológicos, formando um núcleo de ciência, assistência e docência. Com os objetivos de estimular a educação continuada e o programa de residência médica em uro-oncologia, bem como unificar a tomada de condutas e a elaboração de protocolos uro-oncológicos, este grupo tem como propósito comum o aprimoramento da qualidade dos serviços uro-oncológicos prestados à população. 

“O Gruoba começou como um grupo de WhatsApp em 2015 para compartilhamento de temas de interesse comum. Com o passar do tempo, porém, evoluímos para encontros presenciais regulares com convidados da Bahia e de outros estados e passamos a realizar eventos científicos de atualização e aperfeiçoamento profissional, a exemplo de simpósios estaduais e regionais de uro-oncologia. Hoje, somamos 183 integrantes organizados por uma comissão composta de 27 especialistas representantes dos mais diversos serviços de saúde do estado”, relatou Modesto, coordenador científico da Sociedade Brasileiro de Urologia seção Bahia (SBU-BA) e membro fundador de outro grupo de médicos, o Robótica Bahia (RB) – Assistência Multidisciplinar em Cirurgia. 

O RB também é fruto da união de médicos de diferentes especialidades. O grupo foi oficialmente lançado há cinco meses, em outubro de 2020, mas a integração dos seus integrantes remonta há muitos anos. “Nosso time possui anos de trabalho e o avanço até a plataforma robótica, com a chegada do robô à Bahia, ocorreu como uma etapa natural de aperfeiçoamento em busca de pioneirismo e avanço nos tratamentos. Além da união dos componentes, a diversidade de especialidades e a preocupação em democratizar o ensino e a pesquisa relacionados à tecnologia robótica são marcas do RB, que também se diferencia pelo grau de experiência de seus integrantes, comprometimento, foco no paciente, atendimento humano e ético, desenvolvimento técnico-científico e medicina personalizada”, resumiu Modesto. Os médicos que integram o Robótica Bahia atuam em diferentes locais e exercem coordenações e lideranças em diversos segmentos. “Grandes forças unidas geram um valor muito maior do que a soma simples de cada membro”, completou Modesto.

Nesse cenário, “o trabalho de residentes também passa a ser encarado sob o ângulo da parceria/cooperação, pois todos nós, um dia, estivemos na posição de estudantes”, destacou o coordenador científico da SBU-BA. No serviço de urologia do Hospital Aristides Maltez (HAM), coordenado por Augusto Modesto, esta visão permite que os residentes e fellows em uro-oncologia sejam valorizados e estimulados a dar o seu melhor na assistência à população carente atendida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na instituição. No grupo de urologistas que atuam no Hospital São Rafael (HSR)/Rede D’or também é possível perceber esta unidade. “Os médicos que compõem este serviço concordam que trabalhar em grupo é muito gratificante. Somos mais do que colegas de trabalho, somos amigos, o que nos faz crescer ainda mais. Avançar ao lado de pessoas diferenciadas, focadas e competentes é sempre muito bom. Saber que todos estão dando o melhor de si para o grupo, para o crescimento do conjunto como um todo, é muito positivo”, finalizou Augusto Modesto, urologista e preceptor da residência em urologia do HSR. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *